Medidas de contenção

“Quarentena está salvando o Brasil”, diz engenheiro e cientista de dados

Maurício Féo explica que, se nenhuma medida é tomada e se não existe vacina, toda epidemia cresce exponencialmente

O Theatro Municipal, no centro de São Paulo, vazio durante a pandemia de coronavírus
O Theatro Municipal, em São Paulo (Rovena Rosa/Agência Brasil)
Aprenda a investir na bolsa

O Brasil já poderia estar bem perto de alcançar a marca de 1 milhão de casos da covid-19, se não tivesse adotado as medidas de distanciamento social. A conclusão está no vídeo “A quarentena pode estar salvando o Brasil”, publicado pelo engenheiro e cientista de dados Maurício Féo. Ele faz doutorado em Física de Partículas no Cern – a organização europeia de pesquisa nuclear que opera o maior acelerador de partículas do mundo, em Genebra, na Suíça.

No vídeo, que já teve 500 mil visualizações, Féo explica que, se nenhuma medida é tomada e se não existe vacina, toda epidemia cresce exponencialmente – ou seja, o valor inicial é multiplicado por um mesmo número num dado período de tempo.

No Brasil, até somar os primeiros 1.500 casos, estava crescendo exponencialmente. Atualmente, está menos íngreme.

Aprenda a investir na bolsa

Por que você resolveu fazer esse vídeo?

Estava decepcionado com a quantidade de desinformação sendo passada. Estou vendo as pessoas apoiarem um lado ou outro baseadas em política e espalhando desinformação. Não sou qualificado para opinar sobre saúde e economia, mas sou para dizer que temos que levar em conta os dados certos. E foi isso que quis apresentar.

O número de casos continua aumentando, mas podemos dizer que o distanciamento social deu certo. Por quê?

O número de casos ainda está aumentando, e bastante, mas não em proporção exponencial, graças às medidas adotadas de distanciamento social, uso de máscara e higiene pessoal. Vemos que, no início, o crescimento da curva é exponencial, e, por um bom tempo, continua a subir exponencialmente, mas, depois, começa a reduzir a velocidade de crescimento.

Podemos dizer, então, que conseguimos achatar a curva?

Exatamente, isso significa que a estratégia está sendo bem-sucedida. Definir o pico da epidemia sem a adoção de nenhuma medida de prevenção é fácil, os epidemiologistas no mundo inteiro já fizeram isso. Então vemos o pico ser adiado. Se o pico não chegou na projeção esperada, significa que foi um sucesso, isso não é uma má notícia.

PUBLICIDADE

E como é a comparação com os EUA, que adotaram as medidas bem mais tarde do que nós?

Começamos a agir quando tínhamos 1.500 casos. Nos EUA, demoraram muito mais. Provavelmente teríamos seguido a mesma trajetória deles. No mesmo dia em que o Brasil tem 79 mil casos, os EUA apresentam 735 mil, quase dez vezes mais. Mesmo que a subnotificação no Brasil seja na casa de dez, teríamos 790 mil casos. Os EUA também têm subnotificação.

Newsletter InfoMoney – Informações, análises e recomendações que valem dinheiro, todos os dias no seu email:
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.