MERCADOS AO VIVO Conselho de Administração do Magazine Luiza aprova desdobramento de ações na proporção de 1 para 4

Conselho de Administração do Magazine Luiza aprova desdobramento de ações na proporção de 1 para 4

Reflexos da pandemia

Quando olhamos para frente, temos perspectiva econômica mais difícil, diz diretor do BC

Ao mesmo tempo, Serra qualificou como "sem precedentes" o volume de estímulo fiscal e de crédito no Brasil durante a pandemia

arrow_forwardMais sobre

O diretor de Política Monetária do Banco Central, Bruno Serra, disse nesta sexta-feira, 14, que a perspectiva econômica é “mais difícil” quando se olha para frente. Ao avaliar a atividade econômica, ele afirmou que o setor de serviços “está decepcionando”.

“Esta discrepância entre setores parece que vai ser a norma. O setor de serviços claramente terá uma dificuldade maior”, afirmou. Ainda assim, o diretor demonstrou otimismo com o futuro. “Os estímulos e a atuação dos bancos vão ajudar na recuperação.”

Serra avaliou ainda que a recessão no Brasil, em função da pandemia do novo coronavírus, foi induzida pela necessidade de distanciamento social. “Não sei se nós economistas estamos equipados para prever a saída da recessão. Eu tinha bastantes dúvidas sobre como seria essa recessão”, afirmou.

PUBLICIDADE

Ao mesmo tempo, Serra qualificou como “sem precedentes” o volume de estímulo fiscal e de crédito no Brasil durante a pandemia. “Acho que o Estado proveu em larga escala o suporte para as pessoas ficarem em casa”, afirmou. “A resposta do crédito bancário nesta crise foi diferente da vista em 2008. E isso ajuda”, acrescentou.

De acordo com Serra, esta dinâmica contracíclica de crédito “dá um otimismo”, o que foi refletido nas comunicações do Comitê de Política Monetária (Copom).

Bruno Serra participou nesta tarde de uma videoconferência organizada pelo Credit Suisse.

Curso gratuito do InfoMoney ensina como lucrar na Bolsa fazendo operações que podem durar poucos minutos ou até segundos: inscreva-se!