Energia

Propaganda oficial quer melhorar imagem da energia nuclear

A campanha começa na semana que vem e vai até a primeira quinzena de dezembro, informou a Eletronuclear

Por  Estadão Conteúdo -

Em ascensão no governo Jair Bolsonaro, a energia nuclear vai ganhar uma campanha publicitária promovida pela Eletronuclear, com objetivo de reforçar a importância das usinas nucleares para o abastecimento e a estabilidade na matriz elétrica brasileira, com destaque para a retomada das obras de Angra 3, unidade que tem previsão de entrar em operação no final de 2026, início de 2027.

A campanha começa na semana que vem e vai até a primeira quinzena de dezembro, informou a Eletronuclear. De acordo com o coordenador de Comunicação Institucional da estatal, Marco Antônio Alves, a importância da energia nuclear ganhou ainda mais força com a crise hídrica, que, segundo ele, evidenciou a necessidade do País ter energia firme na base do sistema.

Geração

Por serem intermitentes, as energias renováveis como eólica e solar precisam estar ancoradas em energia como a que é gerada pelas hidrelétricas e pelas termoelétricas.

Masterclass
As Ações mais Promissoras da Bolsa
Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

“Esse cenário traz uma oportunidade para a Eletronuclear consolidar sua importância perante à sociedade como uma empresa que produz energia limpa, 24 horas por sete dias da semana”, disse o coordenador.

Segundo a Eletronuclear, o plano de mídia prevê comerciais em sete canais da TV fechada e outros em rádios. Em alguns portais, a Eletronuclear terá banners sobre o tema.

“Estamos bastante empolgados com a nova campanha e confiantes nos benefícios que ela trará para a imagem da empresa”, afirmou o executivo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Divisão

A Eletronuclear será separada da Eletrobras durante o processo de privatização da holding e se prepara para avaliar novos locais para construção da quarta usina nuclear do País, anunciada recentemente pelo ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque.

Também no último Plano Nacional de Energia 2050 (PNE 2050) do governo, já existe a previsão de mais 10 gigawatts (GW) de geração nuclear no Brasil, uma fonte polêmica que recua no mundo inteiro a cada acidente, mas que vem crescendo também em outros países no contexto da descarbonização da economia. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Grupo Primo
Mentoria do Mil ao Milhão
Inscrições abertas com o menor preço de todos os tempos
APROVEITAR

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Compartilhe