Bom começo

Presidente do México surpreende mercado com populismo “light”

No 1º ano de seu mandato, peso teve desempenho superior do que no mesmo período dos cinco presidentes anteriores e ações se valorizaram

(Shutterstock)

(Bloomberg) — De populista radical que poderia pôr em risco a estabilidade econômica do México a um modelo de responsabilidade fiscal no prazo de apenas um ano: o presidente Andrés Manuel López Obrador surpreendeu os mercados.

No primeiro ano de seu mandato de seis, o peso teve um desempenho superior do que no mesmo período dos cinco presidentes anteriores, as ações se valorizaram e o retorno dos títulos de dívida passou longe do rendimento médio global.

Embora parte disso se deva a uma corrida global por retorno, também se deve à administração da economia por López Obrador. Apesar de prometer desfazer anos de gestão econômica conservadora e aumentar os gastos em programas sociais e infraestrutura, López Obrador permaneceu firme em relação ao equilíbrio fiscal. O México pode fechar o ano com superávit primário pela terceira vez em uma década.

PUBLICIDADE

Leia também:
AllianceBernstein: Gestora está otimista com Brasil, mas considera o mercado caro
Oxford Economics: emergentes devem ter aceleração econômica apenas suave em 2020

López Obrador “tem praticado prudência fiscal até o momento. É difícil dizer se isso foi apenas ineficiência de execução ou uma política premeditada, mas ele se beneficiou com isso”, disse Shamaila Khan, chefe de dívida de mercados emergentes da AllianceBernstein, em Nova York. “A chave será se isso vai continuar no próximo ano, com o crescimento mais lento dos EUA sendo potencialmente um desafio extra.”

Obviamente, os ventos contrários são fortes na segunda maior economia da América Latina. O México escapou por pouco da recessão no terceiro trimestre, e a política às vezes errática de López Obrador – o presidente cancelou um projeto de aeroporto parcialmente construído na Cidade do México, orçado em US$ 13 bilhões, ignorando todas as objeções – deixou a elite empresarial do país em alerta.

Rali de ativos

As ações mexicanas acumulam alta de 2,6% desde que López Obrador chegou ao poder, em comparação com 1,6% no primeiro ano de Enrique Peña Nieto e de 3,2% sob o comando de Vicente Fox, em 2000. Ainda assim, o mercado apresenta desempenho abaixo do ganho médio global, de 4,6% neste ano.

O desempenho do mercado acionário no primeiro ano de mandato de López Obrador está muito aquém do registrado no mesmo período de Felipe Calderón (alta de 19%), que derrotou López Obrador na corrida à presidência em 2005 com uma vantagem abaixo de um ponto percentual.

Os títulos corporativos e soberanos do México também se saíram bem, apresentando retorno médio de quase 20% durante o primeiro ano de mandato do presidente – bem acima da média global de 11%.

PUBLICIDADE

“De um modo geral, este governo sempre demonstrou deferência à estabilidade fiscal”, afirmou Alvaro Mollica, da XP Investments. em Nova York. “Isso tem sido positivo para os investidores.”

Ganhos do peso

A melhor métrica de López Obrador é, de longe, o peso, a moeda mais negociada da América Latina que se valorizou mais do que durante o primeiro ano de seus cinco antecessores. O peso é a sexta moeda com melhor desempenho em mercados emergentes, e a única moeda latino-americana que não se desvalorizou este ano, com ondas de protestos dominando a região.

O próprio López Obrador tem repetidamente anunciado a força do peso como um sinal de confiança do mercado em seu governo.

“Temos a tranquilidade de que não houve desvalorização de nossa moeda”, disse López Obrador na quinta-feira. “Pelo contrário, é uma das moedas que se fortaleceu em relação ao dólar ao longo deste ano.”

Invista nos melhores fundos com a ajuda da melhor assessoria: abra uma conta gratuita na XP