Diminuição das compras

Powell diz que Fed está no caminho para iniciar tapering

“Eu realmente acho que é hora de diminuir [as compras] e não penso que seja hora de elevar as taxas", apontou presidente do Fed

(Bloomberg) – O Federal Reserve está a caminho de começar a reduzir seu programa de compra de títulos e a inflação deve cair assim que diminuírem as restrições da cadeia de suprimentos que empurraram os preços para cima, disse o presidente do Fed, Jerome Powell.

“Estamos no caminho para iniciar uma redução gradual de nossas compras de ativos que, se a economia evoluir amplamente como o esperado, será concluída em meados do próximo ano”, disse Powell na sexta-feira, durante um painel de debate em evento virtual organizado pelo banco central da África do Sul. “Eu realmente acho que é hora de diminuir [as compras] e não penso que seja hora de elevar as taxas.”

As restrições e escassez da cadeia de abastecimento global que levaram à inflação elevada “provavelmente durarão mais do que o esperado anteriormente, provavelmente até o próximo ano”, disse Powell, acrescentando que “ainda é o caso mais provável” que, à medida que essas restrições diminuam, “como eventualmente acontecerá – e conforme os ganhos de empregos aumentem – a inflação cairá para mais perto de nossa meta de 2%”.

Espera-se que Powell e seus colegas do Comitê Federal de Mercado Aberto do Fed anunciem, na conclusão de sua reunião de 2 a 3 de novembro, que começarão a encerrar o programa de compra de títulos implementado no ano passado nos primeiros dias da pandemia.

Atualmente, o Fed está adquirindo US$ 120 bilhões em títulos do Tesouro e títulos lastreados em hipotecas a cada mês, e a próxima redução no ritmo de compras marcará o primeiro passo do banco central em direção à saída das medidas de apoio monetário implementadas em 2020 para proteger a economia dos efeitos do coronavírus.

Os investidores também esperam cada vez mais que os membros do Fed comecem a elevar a taxa básica de juros — que atualmente está um pouco acima de zero — já em meados do próximo ano. O cronograma para os aumentos de taxa esperados foi antecipado nos mercados monetários nas últimas semanas, em meio a notícias desfavoráveis sobre a inflação, que está muito acima da meta de 2% do Fed, em meio a interrupções na cadeia de abastecimento global que estão aumentando os preços para uma ampla gama de bens e serviços.

Powell disse que o risco é que as atuais taxas elevadas de inflação comecem a fazer com que empregadores e vendedores de produtos e serviços esperem taxas excessivamente altas no futuro.

“Se víssemos um risco sério de inflação se movendo persistentemente para níveis mais altos, certamente usaríamos nossas ferramentas para preservar a estabilidade de preços, ao mesmo tempo levando em consideração as implicações para nossa meta de emprego máximo”, disse ele.

O número de americanos empregados atualmente ainda está milhões abaixo de onde estava antes da pandemia, e o ritmo de recontratação diminuiu em agosto e setembro, conforme a variante do delta varreu o país. As autoridades do Fed prevêem que o nível de aumento de empregos se acelere nos próximos meses, à medida que a última onda de casos de Covid diminua.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Curso inédito “Os 7 Segredos da Prosperidade” reúne ensinamentos de qualidade de vida e saúde financeira. Faça sua pré-inscrição gratuita.