Desemprego

Para IBGE, queda na desocupação em julho reflete falta de busca por trabalho

Para Maria Lúcia Vieira, coordenadora da PNAD Covid, isso não mostra melhora no mercado de trabalho, mas sinaliza que as pessoas não procuraram trabalho

Carimbo de admissão ou demissão com carteira de trabalho
(Gabriel Ramos/Getty Images)
Aprenda a investir na bolsa

A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Covid (Pnad Covid), divulgada nesta sexta-feira, 24, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostrou um movimento atípico na primeira semana de julho, com a taxa de desocupação caindo em relação à semana anterior, ao mesmo tempo em que a ocupação não cresceu.

De acordo com a coordenadora da pesquisa, Maria Lúcia Vieira, isso não mostra melhora no mercado de trabalho, mas sinaliza que as pessoas não procuraram trabalho no período.

A população desocupada na primeira semana de julho caiu para 11,5 milhões de pessoas, contra 12,4 milhões da semana anterior, reduzindo a taxa de desocupação para 12,3%, frente a 13,1% uma semana antes.

Aprenda a investir na bolsa

“Foi uma queda significativa, mas a gente não tem como identificar o motivo. Ainda tem muitos lugares com distanciamento social, muitas empresas fechadas, talvez o mercado não esteja favorável para se obter trabalho”, avaliou a pesquisadora, que considera ainda cedo para saber o motivo da queda.

“A taxa de desocupação caiu, mas não porque elas tenham procurado trabalho, mas porque estão fora da força de trabalho. Pode ter alguma coisa de desalento, mas na pesquisa semanal não é possível medir. A pessoa simplesmente acreditou que naquela semana não ia conseguir trabalho”, explicou.

A estabilidade que vem sendo registrada pelo trabalho remoto, confirmada novamente na primeira semana de julho, reflete principalmente a manutenção em casa de trabalhadores em atividades ligadas à administração pública, educação saúde e seguridade social, informou Vieira.

Na primeira semana de julho, a pesquisa registrou que 8,9 milhões de pessoas se mantinha em trabalho remoto, ou 12,5%, contra 8,6 milhões uma semana antes. “Como esse retorno vem sendo gradual nas grandes empresas, as escolas não votaram, e tem toda uma preparação para essa volta, a taxa deve ficar estável, mas não vai zerar, porque algumas empresas vão aderir (ao trabalho remoto) definitivamente”, avaliou.

Newsletter InfoMoney – Informações, análises e recomendações que valem dinheiro, todos os dias no seu email:
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.