Número de vítimas dos terremotos na Turquia e Síria passa de 11,2 mil

OMS acredita que número de vítimas pode chegar a 20 mil; temperaturas baixas dificultam trabalhos de equipes de resgate e afligem desabrigados

Roberto de Lira

Terremoto na Turquia (Photo by Zana Halil/ dia images via Getty Images)

Publicidade

O número combinado de mortos na Turquia e na Síria após os terremotos da última segunda-feira (6) passou de 11,2 mil pessoas, segundo dados oficiais. O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdoğan, afirmou nesta quarta-feira que foram confirmadas até agora 8.754 mortes no país. Na Síria, foram anunciadas até o momento 2.470 mortes

A Organização Mundial da Saúde (OMS) previu ontem que número final pode chegar a 20.000, o que tornaria a catástrofe maior que do terremoto de 1999 na região, que matou pelo menos 17.000 pessoas.

Além dos milhares de edifícios que desabaram ou estão perto de colapsar, as autoridades turcas enfrentam outros efeitos dos tremores de terra. Somente nesta quarta-feira (8), foi controlado um incêndio na área de contêineres do porto de Iskenderun, no sul da Turquia. As operações estão paradas há dois dias e navios os cargueiros estão sendo desviados para outros portos.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Enquanto isso, as condições climáticas – com temperaturas muitas vezes negativas – continuam a dificultar os trabalhos de equipes de resgate, que tentam encontrar sobreviventes soterrados pelos escombros, e a afligir famílias que perderam suas casas. Muitas pessoas foram forçadas a tentar se abrigar nas ruas das cidades destruídas, enquanto outras se instalaram em trens ou prédios estatais como acomodação temporária.

Na Turquia, nem mesmo a tragédia tem impedido o governo autoritário de Erdogan de punir opositores. Agências de notícias têm relatado a polícia turca já deteve várias pessoas por causa de suas postagens críticas ao governo nas redes sociais após o terremoto.