Imunização

Ministério da Saúde negocia outras 100 milhões de doses da vacina da Pfizer para 2022

Brasil deve receber quantidade igual de doses da Pfizer/BioNTech em 2021

Vacina contra Covid-19 da Pfizer (REUTERS/Dado Ruvic)
Vacina contra Covid-19 da Pfizer (REUTERS/Dado Ruvic)

SÃO PAULO – Marcelo Queiroga, ministro da Saúde, disse que a pasta está em negociação com a Pfizer para comprar mais 100 milhões de doses da vacina contra Covid-19 dos laboratórios Pfizer/BioNTech, com entrega prevista para 2022. O anúncio foi feito em coletiva na sede do Ministério da Saúde, em Brasília.

A Pfizer já acertou outro lote de 100 milhões de doses ao país, com entrega até o fim de 2021. “Nós fizemos um contrato com a Pfizer para o fornecimento de 100 milhões de doses. (…) Estamos em tratativas avançadas para firmar um novo contrato com a Pfizer de mais 100 milhões de doses, com vistas ao ano de 2022”, disse Queiroga.

O governo brasileiro e a Pfizer tinham se reunido no final de março para fechar a entrega do primeiro lote de vacinas. Eram 13,5 milhões de doses previstas para abril e maio. Segundo Queiroga, o lote foi expandido para 15,5 milhões. As doses restantes do primeiro acordo, 84,5 milhões, devem ser entregues até o final de setembro.

Registro, eficácia e armazenamento

A vacina da Pfizer, feita junto com o laboratório alemão BioNTech, foi a primeira vacina contra Covid-19 a receber registro definitivo no Brasil. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) concedeu o registro definitivo em fevereiro deste ano.

Em fevereiro deste ano, a Pfizer divulgou um estudo no mundo real que atestou eficácia de 94% para a vacina, com a aplicação de duas doses. O estudo com cerca de 1,2 milhão de voluntários foi realizado em Israel, país avançado em sua campanha de imunização contra a Covid-19. Uma só dose tem eficácia de 57% na proteção de infecções sintomáticas após duas semanas.

Nesta semana, a Anvisa atualizou as exigências de armazenamento da vacina da Pfizer. Agora, as doses podem ser armazenadas entre -25º C e -15º C por até duas semanas. Ao ser retirado do freezer, o imunizante pode ficar até cinco dias entre 2º C e 8º C. Por qualquer período maior que esses, as vacinas precisam ser refrigeradas entre -90º C e -60º C para não perderem a eficácia.

Quer gerar uma renda extra na Bolsa? Curso gratuito do InfoMoney ensina a fazer o seu primeiro trade na prática, em menos de uma semana. Inscreva-se aqui.