Milei cai em ‘pegadinha’ de bot em rede social e cita números falsos de deflação

Presidente citou em entrevista dados de acompanhamento de preços em supermercados feitos por um robô com conta na rede X, mas a própria conta informou que fazia um "experimento social" e que não acompanhava preços

Roberto de Lira

O presidente argentino Javier Milei, em discurso (Foto: Matias Baglietto/Reuters)

Publicidade

Embora os dados macroeconômicos da Argentina nos últimos meses estejam apresentando melhora, o governo de Javier Milei sofreu um baque ontem em sua credibilidade, especialmente por ser muito ativo no uso das redes sociais.

O presidente deu uma entrevista ontem à noite e citou um bot do Twitter de acompanhamento de preços nos supermercados como referência para ilustrar que o país já estava vivendo uma deflação. Mas na sequência, a própria conta citada informou que os dados eram falsos, segundo os principais sites de notícias do país.

Em entrevista à rádio Neura, Milei convidou os ouvintes a olhar as publicações na rede “X” da conta @bot_jumbo para ilustrar suas afirmações sobre a queda de preços nos supermercados. “Passamos de 5,22% para -4,52%. A inflação vai entrar em colapso”, disse.

Continua depois da publicidade

O entrevistador Alejandro Fantino perguntou então se o presidente se orientava por esses dados. “Estou olhando os números o tempo todo, Alejandro”, respondeu.

Mas minutos depois, a referida conta publicou um vídeo da entrevista de Milei e explicou que os dados que utiliza são falsos.  “Esta conta é um experimento social. Ela nunca analisou preços, nem houve nenhum bot que seguisse os produtos”, disse primeiro o autor anônimo da conta.

Na sequência, ele acrescentou: “Mas serviu para uma coisa: ver a necessidade que muitos têm de mostrar resultados que a realidade lhes nega. Este bot irá autodestruir-se em 3, 2, 1…”.

Continua depois da publicidade

Além de Milei, o ministro da Economia, Luis Caputo, também havia utilizado os dado do @Bot_jumbo em uma entrevista na última sexta-feira. “O Jumbo BOT disse que a inflação de preços em abril deu negativo”, afirmou ao TN.

A conta também se desculpou com o ministro: “Apresentamos as nossas desculpas ao Ministro da Economia, Luis Caputo. Não leve o assunto para o lado pessoal. Repetimos: foi apenas um experimento social”, repetiu. De concreto, os analistas de mercado esperam uma inflação de 12,5% para março, abaixo dos 13,2% de fevereiro. Para o ano, a projeção está em 189,4%. Há expectativa de que a variação de preços fique abaixo de dois dígitos em abril.