Imunização contra o novo coronavírus

Instituto Butantan está desenvolvendo soro para tratar e curar pessoas com Covid-19

Pedido de autorização para a condução do teste do soro em humanos já foi enviado para a Anvisa

arrow_forwardMais sobre
(Divulgação/Governo de São Paulo)

SÃO PAULO – O Instituto Butantan está desenvolvendo um soro para tratar sintomas e curar pacientes com Covid-19. A informação foi divulgada em coletiva realizada nesta sexta-feira (5) no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo de São Paulo.

O vírus presente em um paciente humano contaminado foi coletado, isolado, cultivado e submetido a testes em camundongos. Depois, o material foi injetado em cavalos, que produziram anticorpos. Tais anticorpos foram processados e transformados em plasma hiperimune, originando o soro. Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan, afirmou que esse teste pré-clínico demonstrou que o soro foi “seguro e efetivo”.

“Os animais tratados tiveram seu pulmão protegido, não desenvolveram uma forma fatal de infecção. São resultados extremamente promissores, e esperamos que a mesma efetividade seja demonstrada agora em estudos clínicos”, afirmou Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan. O Butantan produz soros há 120 anos, como os contra picadas de cobras.

O pedido de autorização para a condução do teste de soro em humanos já foi enviado para a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“Estamos aguardando para começar um estudo clínico inicial, com um paciente de transplante de rim no Instituto de Infectologia Emílio Ribas, e com um paciente com comorbidades no Hospital das Clínicas”, diz Covas.

O diretor espera receber observações da Anvisa até o final desta sexta-feira (5). O Instituto Butantan tem 3 mil frascos prontos para uso neste início de estudo clínico em humanos.

“Não há razão para protelar [a aprovação], porque todas as informações já foram providas pelo Instituto Butantan. Temos um grande potencial para evitar o agravamento de sintomas e curar os contaminados”, disse João Doria (PSDB), governador do estado de São Paulo. Esses estudos estão sendo conduzidos por dois médicos do Centro de Contingência da Covid-19.

Aumento na ocupação de UTIs

Ainda segundo João Doria (PSDB), governador de São Paulo, a saúde pública “está na iminência de um colapso, o maior no mundo”. “Somos o epicentro da pandemia, com 17% dos casos do planeta de acordo com a Organização Mundial da Saúde”, afirmou o governador.

São Paulo já registrou 61.064 óbitos pela Covid-19. O estado atingiu na terça mais um recorde de ocupação de leitos hospitalares para tratamento da Covid-19, com 77,4% de ocupação nas unidades de terapia intensiva (UTI).

PUBLICIDADE

Diante do avanço da pandemia no estado, Doria defendeu a importância do lockdown que será adotado no estado nas duas próximas semanas (veja como vai funcionar).

Estagnado em sua profissão? Série gratuita do InfoMoney mostra como você pode se tornar um Analista de Ações em 2021. Clique aqui para se inscrever.