Crise na Argentina

Inflação ao consumidor na Argentina sobe 6,3% em julho e chega a 113,4% em 12 meses

Inflação argentina acumula alta de 60,2% no ano; preços regulados avançaram 6,7% na comparação mensal e o núcleo da inflação subiu 6,5%

Por  Roberto de Lira -

O índice de preços ao consumidor (IPC) da Argentina, avançou 6,3% em julho em relação a junho, segundo dados do Indec divulgados nesta terça-feira (15). Com isso, a inflação argentina acumula alta de 60,2% no ano e de 113,4% em 12 meses. Em junho, a inflação tinha subido 6,0% e a taxa anualizada estava em 115,6%.

Os preços regulados avançaram 6,7% na comparação mensal e o núcleo da inflação subiu 6,5%.

Leia mais:

XP Investimentos
Ganhe até 5 mil reais em vale-bônus na plataforma CRM&Bonus
Abra a sua conta gratuita na XP para ganhar o seu vale
EU QUERO

Javier Milei: quem é o polêmico candidato à presidência da Argentina que venceu as primárias

Segundo o Indec, os maiores aumentos em julho foram registrados em Comunicações (12,2%), por conta da alta nos serviços de telefonia e internet. Esse aumento foi seguido por Recreação e Cultura (11,2%), motivado por pacotes turísticos, e por Bebidas alcoólicas e tabaco (9,0%).

Por grupos, a maior incidência em todas as regiões foi em Alimentação e bebidas não alcoólicas (5,8%). Dentro dessa divisão, os aumentos de pães, cereais, carnes e derivados tiveram o maior  impacto.

As duas divisões que registaram as menores variações em julho foram a Habitação, água, eletricidade, gás e outros combustíveis (4,0%) e Vestuário e calçado (3,0%).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Compartilhe