Inflação ao consumidor na Alemanha confirma projeções e fecha julho em 6,2%

Sem incluir as variações de energia e alimentos, o núcleo do CPI mostrou alta de 5,5%, um pouco abaixo dos 5,8% observados em junho

Roberto de Lira

Bandeira da Alemanha (Foto: Getty Images)

Publicidade

O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) da Alemanha confirmou as previsões e fechou o mês de julho em 6,2% em termos anualizados, ante os 6,4% registrados em junho, divulgou nesta terça-feira (8) o Destatis, o departamento federal de estatísticas. A inflação do mês ficou em 0,3%, também dentro da projeção.

Os preços relacionados à energia subiram 5,7% em julho ante o mesmo mês do ano anterior, após altas de 3,0% em junho e de 2,6% em maio. Segundo o Destatis, os consumidores tiveram que pagar 17,6% a mais pela eletricidade, após uma alta anualizada de 10,5% um mês antes. Esse aumento deveu-se principalmente à abolição da sobretaxa EEG com efeitos a partir de 1º  de julho de 2022.

Os preços dos alimentos, por sua vez, ficaram 11,0% acima dos verificados em julho de 2022, após um aumento de 13,7% em junho.

Continua depois da publicidade

Os preços continuaram mais altos do que no ano anterior em quase todos os grupos de alimentos. Os consumidores alemães pagaram 18,9% mais por açúcar, compotas, mel e outros produtos de doceria, 16,6% mais por pães e cereais, 15,7% mais por legumes e +14,1% por peixes, produtos da pesca e mariscos. Por outro lado, as gorduras e óleos comestíveis custaram 12,9% menos do que no ano anterior.

Sem incluir as variações de energia e alimentos, o núcleo do CPI mostrou alta de 5,5%, um pouco abaixo dos 5,8% observados em junho.