E esperava-se algo pior

Indice de sentimento econômico da zona do euro sofre maior queda histórica

O índice mede a confiança de empresas e consumidores e, apesar do tombo, ficou acima da expectativa

Pessoas enfrentam longas filas, com distanciamento demarcado no chão, para entrar em supermercado em Bergamo, na Itália (COVID-19). (foto: CLAUDIO FURLAN/LA PRESSE/DIA ESPORTIVO/ESTADÃO CONTEÚDO)
Aprenda a investir na bolsa

O índice de sentimento econômico da zona do euro, que mede a confiança de setores corporativos e dos consumidores, caiu de 103,4 em fevereiro para 94,5 em março, registrando sua maior queda histórica em meio aos efeitos adversos da pandemia de coronavírus, segundo dados publicados hoje pela Comissão Europeia, braço executivo da União Europeia.

Apesar do tombo inédito, o resultado ficou acima da expectativa de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, que previam recuo maior do indicador, a 93. O dado de fevereiro foi ligeiramente revisado para baixo, de 103,5 no cálculo original.

Apenas a confiança do consumidor caiu de -6,6 em fevereiro para -11,6 em março, confirmando estimativa prévia e em linha com a previsão de analistas, enquanto a da indústria diminuiu de -6,2 para -10,8 e a de serviços cedeu de +11,1 para -2,2, também neste caso uma queda recorde.

Aprenda a investir na bolsa

Fonte: Dow Jones Newswires

Aprendizados em tempos de crise: uma série especial do Stock Pickers com as lições dos principais nomes do mercado de ações. Assista – é de graça!