Indicadores

Índice de evolução da produção registra alta em agosto, revela sondagem da CNI

Em agosto, o índice de produção alcançou 58,7 pontos, um pouco abaixo do registrado em julho

Trabalhadores industriais
(shutterstock)
Aprenda a investir na bolsa

Os índices de evolução da produção e do número de empregos do mês de agosto mostram continuidade da recuperação da atividade industrial.

A pesquisa Sondagem Industrial, divulgada nesta terça-feira pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), aponta que, pelo terceiro mês seguido, há alta na produção do setor seguida por incremento das contratações.

Em agosto, o índice de produção alcançou 58,7 pontos, um pouco abaixo do registrado em julho, quando o indicador ficou em 59,4 pontos.

Aprenda a investir na bolsa

Resultados acima da linha divisória de 50 pontos indicam crescimento com relação ao mês anterior e, quanto mais distante da linha dos 50 pontos, mais forte e disseminada entre as empresas industriais é a alta da produção, esclarece a CNI. Em agosto de 2019, o índice de produção era de 51,4 pontos.

O indicador de evolução do número de empregados atingiu 53,8 pontos em agosto, refletindo crescimento do emprego no setor industrial. “O índice já havia superado a linha divisória de 50 pontos em julho (índice de 50,9 pontos) mas, ao se afastar da linha, revela maior disseminação do movimento de aumento do emprego”, destaca a CNI.

Além disso, o indicador de agosto é o maior da série histórica mensal que teve início em janeiro de 2011. “É preciso levar em consideração, contudo, que o emprego estava em nível muito baixo. Em abril, o índice havia mostrado forte queda do número de empregados, ao registrar 38,2 pontos”, acrescenta a entidade.

Outro indicador que aponta a melhora da atividade do setor é a Utilização da Capacidade Instalada (UCI) que, em agosto, alcançou 71%.

Em julho, a UCI tinha sido de 67% e, em agosto de 2019, 69%. Além disso, o indicador de UCI efetiva em relação ao usual também está acima do registrado em agosto de 2019 e próximo a linha divisória de 50 pontos, que indica atividade no nível usual para o mês. Segundo a CNI, os índices mostram que a atividade industrial já se encontra no patamar pré-crise.

A Sondagem mostra ainda que, mesmo com meses de aumento da produção, os estoques seguem em queda e em nível abaixo do planejado. O índice de evolução do nível de estoques registrou 46,3 pontos em agosto, o que mostra que houve queda no nível, mesmo que menos intensa que em julho (45,5 pontos).

PUBLICIDADE

O levantamento da CNI mostra que, desde abril, os estoques registram queda. O índice de estoque efetivo em relação ao planejado em agosto ficou ou em 45,2 pontos. “Situando-se abaixo da linha divisória de 50 pontos (45,2 pontos), o índice de estoque efetivo em relação ao planejado de agosto mostra que os estoques seguiram inferiores ao esperado pelos empresários industriais.”

Expectativas

O otimismo do empresário industrial continua em alta, impulsionado, segundo a CNI, pela recuperação da economia e pelo início do período de fim de ano, sazonalmente mais favorável à produção industrial. A sondagem mostra que todos os índices de expectativa mantiveram-se em crescimento em setembro.

O índice de expectativa para a demanda em setembro aumentou 1,7 ponto para 63,1 pontos, o melhor resultado para o índice em mais de 10 anos. O índice de expectativa de compras de matérias-primas cresceu 1,9 ponto para 60,6 pontos. A última vez que o índice havia superado 60 pontos foi em agosto de 2010, segundo a CNI.

O indicador de expectativa de número de empregados foi de 54,8 pontos, o maior índice desde abril de 2011. A expectativa de exportação também subiu 3 pontos, para 55,4 pontos.

Em setembro, o indicador que mede a intenção do empresário em investir cresceu pelo quinto mês consecutivo e atingiu 55,3 pontos, uma alta de 4,3 pontos em relação a agosto. Desde maio, esse índice acumula crescimento de 18,6 pontos. Apesar disso, ainda não retomou o nível de fevereiro, pré-pandemia, que era de 58,7 pontos.

A Sondagem Industrial foi feita entre os dias 1º e 14 de setembro, com 1.880 empresas, sendo 747 pequeno porte, 660 médio porte e 473 de grande porte.

Newsletter InfoMoney
Informações, análises e recomendações que valem dinheiro, todos os dias no seu email:
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.