Ministro da Economia

Guedes classifica movimentos de inflação e juros altos como ‘passageiros’

Ao mesmo tempo, o ministro destacou a perspectiva de aumento dos investimentos nos próximos anos.

Por  Estadão Conteúdo -

Ao comemorar o resultado do segundo leilão de áreas excedentes da cessão onerosa, que ofereceu os campos de Atapu e Sépia, no pré-sal da bacia de Santos, o ministro da Economia, Paulo Guedes, classificou nesta sexta-feira, 17, as “dificuldades” com a inflação elevada, o aumento de juros para arrefecer os reajustes de preços e a consequente desaceleração do crescimento econômico como “passageiros”. Ao mesmo tempo, o ministro destacou a perspectiva de aumento dos investimentos nos próximos anos.

“Com esses R$ 200 bilhões novos (previstos em aportes necessários para explorar os dois blocos de petróleo e gás oferecidos no leilão desta sexta-feira, 17), o governo Bolsonaro já tem contratados, nos três primeiros anos, R$ 844 bilhões de compromissos de investimentos”, afirmou Guedes, em rápida participação na entrevista coletiva conduzida pelo ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, após o leilão, no Rio. Ele deixou o local sem responder a perguntas.

Em discurso, antes da entrevista, Guedes já havia dito que “temos muito crescimento pela frente”, já que a inflação e os juros altos seriam “passageiros”. Na entrevista, o ministro reforçou o tom otimista.

“É verdade que temos dificuldades, a inflação está subindo, o Banco Central (BC) tem que combater a inflação, vai subir os juros, isso desacelera (a economia). De um lado, temos esse vetor de dificuldades, mas, de outro lado, temos esse vetor de uma enorme plataforma de investimentos sendo formada no Brasil. Petróleo, gás natural, mineração. Isso tudo é garantia de investimento futuro, é garantia de crescimento”, afirmou Guedes.

Oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje. Assista aqui.

Compartilhe