Um ano de pandemia

Grande São Paulo regride para Fase Laranja; governo de SP anuncia datas antecipadas de vacinação

Reclassificação que restringe a atuação do comércio na capital e em outras três regiões ocorre diante da alta de casos e de internações

Vista aérea da Avenida Paulista, na área central de São Paulo
Vista aérea da Avenida Paulista, na área central de São Paulo (Alexandre Schneider/Getty Images)

SÃO PAULO – Nesta sexta-feira (26), o governo do estado de São Paulo atualizou a classificação do Plano São Paulo. Esta é a 23ª reclassificação do programa de controle da pandemia imposto pelo governo estadual, que condiciona a reabertura econômica aos índices de novos casos, internações e óbitos por Covid-19 nas regiões do estado.

O Plano SP divide o estado em regiões e cada uma delas é classificada em uma fase. São cinco, que vão do nível máximo de restrição de atividades não essenciais (Vermelha) a etapas identificadas como controle (Laranja), flexibilização (Amarela), abertura parcial (Verde) e normal controlado (Azul).

A gestão paulista informou que as regiões da Grande São Paulo, Campinas, Sorocaba e Registro regrediram da Fase Amarela à Laranja. Já as regiões de Ribeirão Preto e Marília foram da Fase Laranja para a Fase Vermelha – a mais restritiva do programa, e que permite apenas o funcionamento de atividades essenciais. A reclassificação passa a valer a partir da próxima segunda-feira (1).

Regiões que estejam na Fase Vermelha devem fechar todos os comércios e manter em funcionamento apenas serviços considerados essenciais, como farmácias, mercados, padarias, açougues, postos de combustíveis e hospitais.

Já a Fase Laranja permite que o comércio e o setor de serviços funcione, porém com restrições na capacidade de ocupação (40%) e no horário de funcionamento, limitado a 8h diárias e com atendimento até as 20h. Bares e restaurantes não podem realizar atendimento presencial.

Apenas uma região do estado teve melhora nos indicadores e progrediu de fase no Plano São Paulo. Com uma ocupação de leitos estável em 60%, a região de Piracicaba conseguiu passar da Fase Laranja para a Fase Amarela.

As restrições da Fase Amarela são bem parecidas com as da Fase Laranja. Mas a fase permite um horário de funcionamento maior (até 10h diárias) e o atendimento presencial em bares e restaurantes até as 20h.

Demais regiões do estado permaneceram na antiga classificação. Confira a situação de cada região de SP:

Mapa atualizado da reclassificação do Plano SP — Foto: Reprodução/Governo de SP
(Reprodução/Governo de SP)

Vale lembrar que o governo estadual já havia decretado nesta semana medidas adicionais para conter a alta dos casos no estado. Na última quarta-feira (24), João Doria (PSDB), governador de São Paulo, anunciou que o estado teria a partir desta sexta-feira uma restrição de circulação entre 23h e 5h, em todos os dias da semana. A restrição será válida até 14 de março.

Recorde de internações por Covid-19

PUBLICIDADE

O país registrou o maior número de mortos pela Covid-19 em 24h na quinta-feira (25), com 1.582 óbitos. São Paulo também vê um piora nos números da pandemia, com registros recordes de internações por Covid-19.

O número de novos casos no estado cresceu 6% na comparação desta semana epidemiológica com a anterior. Já as taxas de internações tiveram aumento mais expressivo, expandindo 13% no mesmo período. “Esses números podem ser piores. Ainda não terminamos esta semana epidemiológica”, afirmou Jean Gorinchteyn, secretário estadual de Saúde.

Gorinchteyn explica que a velocidade de novas internações preocupa a Secretaria da Saúde de São Paulo. Um comitê de saúde foi formado para conduzir as mudanças do Plano São Paulo. Atualmente, 6.767 pessoas estão internadas em leitos de UTI no estado por conta da Covid-19.

“São 510 pacientes a mais do que tivemos no pico da primeira onda [segunda semana de julho] e, pasmem, 357 pacientes a mais do que tínhamos na segunda-feira [22]. Há uma média de quase 100 internações diárias nos últimos quatro dias”, ilustrou durante apresentação dos números da semana epidemiológica no estado.

A taxa de ocupação de UTI no estado chegou a 70,4%. Na capital, está em 70,8%. Os números atuais mostram que o cenário de maior ocupação no interior do estado em comparação com a capital foi invertido. “Temos 15% da nossa população do estado na Fase Vermelha e 76% na Fase Laranja”, acrescentou Gorinchteyn.

Segundo informações do governo, o cumprimento da restrição de circulação será fiscalizado por uma força-tarefa composta por integrantes de vigilâncias sanitárias, da Polícia Militar e do Procon. Esse aumento das ações de fiscalização foi oficializado em decreto publicado no Diário Oficial nesta sexta-feira. O decreto autoriza a polícia do estado a dispensar aglomerações “sempre que constar reunião de pessoas capaz de aumentar a disseminação da Covid-19.”

Novas datas para vacinação de mais faixas etárias

Ainda durante a coletiva, a gestão paulista anunciou que irá antecipar datas de vacinação para idosos de 80 a 84 anos em todo estado. Segundo explicou Doria, a antecipação ocorre para que o estado consiga cumprir o cronograma de vacinação o mais rapidamente possível.

Com a antecipação, idosos entre 80 e 84 anos começarão a ser vacinados a partir do próximo sábado (27) em todos os municípios do estado. Anteriormente, a vacinação para essa faixa etária estava programada para começar na próxima segunda-feira (1).

PUBLICIDADE

“Vacinas precisam ser prioridades absolutas. Esse é um esforço (…) para vacinar todos os idosos, já que praticamente conseguimos vacinar todos os trabalhadores da linha de frente”, explicou Doria. O governo paulista iniciou sua campanha de imunização no dia 17 de janeiro, vacinando primeiro trabalhadores da saúde, indígenas e quilombolas. Ainda segundo o governador, a primeira dose já foi aplicada em todos os indígenas e quilombolas do estado.

O governo estadual também anunciou novas datas para a imunização das próximas faixas etárias. A partir da próxima quarta-feira (3), o estado começa a imunizar a população de 77 a 79 anos. Segundo informações do estado, essa será a quinta fase de vacinação e tem um quantitativo estimado em 430 mil pessoas.

Regiane De Paula, coordenadora da vacinação no estado, explicou que o estado tem mantido um controle de aplicação das doses para certificar a aplicação da segunda dose após cerca de 28 dias da aplicação da primeira.

Segundo os últimos números do Vacinômetro, ferramenta digital desenvolvida em parceria com a Companhia de Processamento de Dados do Estado de São Paulo (Prodesp) que permite a qualquer pessoa acompanhar em tempo real o número vacinas aplicadas no estado, 2.249.788 pessoas foram vacinadas em São Paulo até às 13h40 desta sexta-feira. 1.757.977 pessoas receberam a primeira dose, enquanto 491.811 já receberam a segunda aplicação.

 

Em curso gratuito, analista Pamela Semezzato explica como conseguiu extrair da Bolsa em um mês o que ganhava em um ano em seu antigo emprego. Deixe seu e-mail para assistir de graça: