Relatório do Banco Central

Focus: mercado financeiro estima contração de 6,25% do PIB em 2020

Economistas consultados esperam taxa Selic encerrando 2020 em 2,25% ao ano, com aumento para 3,38%, em 2021

SÃO PAULO – Com o enfraquecimento da economia em meio ao avanço do coronavírus no país, o mercado financeiro vê uma contração cada vez maior para o PIB em 2020.

De acordo com o relatório Focus divulgado pelo Banco Central na manhã desta segunda-feira (1), a mediana das projeções para o desempenho do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro caiu pela 16ª vez consecutiva, de 6,25% em 2020, ante expectativa anterior de retração de 5,89%.

Já para 2021, o mercado manteve a estimativa de crescimento de 3,50%.

Em relação à taxa básica de juros, houve alta na expectativa para a Selic em 2021, de 3,29% para 3,38% ao ano. Ainda de acordo com os economistas consultados pelo Focus, a Selic deve subir para 5,13% a.a. ao fim de 2022 – sem alteração em relação ao último levantamento.

Para este ano, a estimativa foi mantida em 2,25% a.a., com a previsão de corte de 0,75 ponto percentual na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), no dia 17 de junho.

Por fim, as expectativas para inflação foram levemente reduzidas.

Para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a projeção de alta passou de 1,57% para 1,55%, em 2020. Também houve ajuste na projeção para a inflação de 2021, de 3,14% para 3,10%.

No que tange às previsões para o câmbio, o relatório Focus revelou que a estimativa para o dólar neste ano é de R$ 5,40, com leve aumento de R$ 5,03 para R$ 5,08 em 2021.

Top 5

Entre os economistas que mais acertam as previsões, reunidos na categoria “Top 5” do relatório Focus, houve revisões nas estimativas para inflação e câmbio.

Segundo o relatório do BC, o grupo “Top 5 médio prazo” vê alta de 1,31% para a inflação este ano, frente à estimativa de 1,33% na semana anterior. A projeção para 2021, por sua vez, foi mantida em 3,00%.

Com relação ao dólar, houve queda nas expectativas para 2020, de R$ 5,50 para R$ 5,40, e de R$ 5,30 para R$ 5,20, em 2021.

Já a taxa básica de juros deve encerrar este ano em 2,25% a.a., subindo para 2,88% em 2021 – sem alterações com relação ao último levantamento.

Como ler o mercado financeiro e aproveitar as oportunidades: conheça o curso A Grande Tacada, do Fernando Góes – de graça nos próximos dias!