EUA: relatório do Senado acusa China de acessar informações privilegiadas do Fed

Descoberta mostra "esforço da China, ao longo de mais de uma década, para ganhar influência sobre o Fed e fracasso em combater essa ameaça de forma eficaz"

Estadão Conteúdo

Publicidade

A China tentou construir uma rede de informantes dentro do sistema do Federal Reserve (Fed) e chegou a ameaçar prender um economista do BC dos EUA durante uma viagem a Xangai, a menos que ele concordasse em fornecer dados econômicos privados, segundo uma investigação realizada por membros republicanos do Comitê de Segurança Interna e Assuntos Governamentais do Senado.

A investigação descobriu que por mais de uma década ofereceu-se aos funcionários do Fed contratos com programas de recrutamento de talentos chineses. Em troca, eram oferecidos pagamentos em dinheiro por informações sobre a economia americana, mudanças e políticas de taxa de juros, de acordo com um relatório divulgado nesta terça-feira (26).

No caso do economista, segundo o documento divulgado, autoridades chinesas o detiveram em 2019 e tentaram coagi-lo a compartilhar dados e informações sobre as políticas do governo dos EUA, inclusive sobre tarifas. Isto em um momento em que os EUA e a China estavam em meio a uma guerra comercial.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

O relatório não diz se alguma informação sensível foi vazada. O acesso a essas informações pode fornecer informações valiosas em função da extensa análise da atividade econômica pelo Fed, a supervisão do sistema financeiro e a definição da política monetária.

A investigação liderada pelos republicanos disse que o Fed não chegou a uma conclusão adequada. As descobertas do relatório mostram “um esforço sustentado da China, ao longo de mais de uma década, para ganhar influência sobre o Fed e um fracasso em combater essa ameaça de forma eficaz”.

O presidente do Fed, Jerome Powell, contestou fortemente as descobertas do relatório e chamou suas caracterizações de alguns funcionários de injustas. “Como entendemos que alguns personagens pretendem explorar quaisquer vulnerabilidades, nossos processos, controles e tecnologia são robustos e atualizados regularmente. Respeitamos qualquer sugestão em contrário”, escreveu ele em carta ao senador Rob Portman, de Ohio, o principal republicano do comitê.

Continua depois da publicidade

Fonte: Dow Jones Newswires

Oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje. Assista aqui.