34 novas entidades

EUA incluem entidades da China em lista que restringe exportação

Objetivo da medida é coibir atividades contrárias à política externa e à segurança nacional

Por  Estadão Conteúdo -

Os Estados Unidos incluíram 34 novas entidades em uma lista do Banco de Compensações Internacionais (BIS) que prevê restrições de exportações. Do total, 14 têm sede na China. Segundo um comunicado do Departamento do Comércio americano, o objetivo da medida é coibir atividades contrárias à política externa e à segurança nacional.

De acordo com Washington, as entidades chineses que foram alvo das sanções possibilitaram uma “campanha de repressão” de Pequim contra uigures, cazaques e membros de outros grupos minoritários muçulmanos na região autônoma de Xinjiang.

“O Departamento de Comércio continua firmemente comprometido em tomar medidas fortes e decisivas para visar entidades que estão permitindo abusos dos direitos humanos em Xinjiang ou que usam tecnologia dos EUA para alimentar os esforços desestabilizadores de modernização militar da China”, disse em nota a secretária de Comércio americana, Gina Raimondo.

A secretária também afirmou que os EUA continuarão a usar “agressivamente” os controles de exportação para responsabilizar governos, empresas e indivíduos que realizarem atividades subversivas em países como China, Irã e Rússia. Segundo Raimondo, essas atividades ameaçam a segurança nacional dos EUA e são contrárias aos valores americanos.

Quer trabalhar como assessor de investimentos? Entre no setor que paga as melhores remunerações de 2021. Inscreva-se no curso gratuito “Carreira no Mercado Financeiro”.

Compartilhe