James Bullard

Dirigente do Fed defende taxa básica de juros nos EUA em 3,5% até fim do ano

Na visão de James Bullard, o movimento recente de reprecificação nos mercados financeiros reflete, em parte, a política de aperto do Fed.

Por  Estadão Conteúdo -

O presidente da distrital do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) em St. Louis, James Bullard, afirmou nesta sexta-feira, 20, que considera adequado o ritmo atual de aumento de juros em 50 pontos-base por reunião. Em entrevista à Fox Bussiness, o dirigente voltou a defender que a taxa básica suba a 3,5% até o final do ano, da atual faixa entre 0,75% e 1,00%.

Bullard, que vota nas reuniões deste ano do Comitê Federal de Mercado Aberto (FOMC, na sigla em inglês), argumentou que os juros poderão ser cortados em 2023 ou 2024, caso a inflação seja controlada.

Na visão dele, o movimento recente de reprecificação nos mercados financeiros reflete, em parte, a política de aperto do Fed.

Recessão

Bullard afirmou ainda que não prevê uma recessão no horizonte econômico dos Estados Unidos este ano ou no próximo, apesar dos riscos à atividade decorrentes do aperto monetário.

Na entrevista à Fox Bussiness, o dirigente projetou que o Produto Interno Bruto (PIB) norte-americano crescerá entre 2,5% e 3% este ano, acima da média de longo prazo.

Segundo ele, a taxa de desemprego deve continuar caindo e pode até ficar abaixo de 3% em 2022. Por isso, Bullard considera pequena a chance de estagflação – período prolongado de inflação alta e crescimento econômico lento.

Procurando uma boa oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje.

Compartilhe