Mary Daly

Dirigente do Fed defende subir juros mais rapidamente ao nível neutro de 2,5%

Mary Daly se disse “bem otimista” em relação à maior economia do planeta e enfatizou que não prevê uma recessão no horizonte do país

Por  Estadão Conteúdo -

A presidente da distrital do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) em São Francisco, Mary Daly, argumentou nesta quarta-feira que a autoridade monetária deve subir juros mais rapidamente em direção ao nível neutro, isto é, o patamar em que as taxas nem estimulam, nem comprimem a atividade econômica. Em entrevista à CNBC, a dirigente estimou que esse nível está em 2,5%. Atualmente, as Fed Funds estão na faixa entre 0,75% e 1,00%.

Mary Daly, que não tem direito a voto nas reuniões do Comitê Federal de Mercado Aberto (FOMC, na sigla em inglês) deste ano, explicou que busca não fazer previsões para além dos próximos dois encontros. Na visão dela, a incerteza no cenário econômico dificulta esse tipo de projeção.

A líder da regional de São Francisco acrescentou que espera que a inflação tenha atingido o pico, mas que “não declara vitória”.

Ela ressaltou que, para que haja uma desaceleração sustentada nos preços, a China deveria insistir no relaxamento das restrições contra a covid-19, o que traria alívio às cadeias produtivas. Daly citou ainda dúvidas sobre a guerra na Ucrânia.

A dirigente se disse “bem otimista” em relação à maior economia do planeta e enfatizou que não prevê uma recessão no horizonte do país. No entendimento dela, não há sinais de espiral positiva nos salários, como efeito secundário da inflação.

Mary Daly destacou que o FOMC ainda decidirá se venderá os títulos do balanço de ativos no processo de aperto quantitativo (QT, na sigla em inglês). “Precisamos remover acomodação monetário, mas abertos aos dados econômicos”, afirmou.

Procurando uma boa oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje.

Compartilhe