Campos Neto

Dinâmica de câmbio no Brasil mudou, afirma presidente do Banco Central

Roberto Campos Neto afirmou que real se desvalorizou ao mesmo tempo em que houve melhora de perspectiva para a economia brasileira

(Pedro França/Agência Senado)

O presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, afirmou em entrevista à GloboNews que “a dinâmica do câmbio no Brasil mudou em relação ao passado” e que a pressão cambial agora é diferente na inflação.

“Quando o câmbio piorava, as expectativas com o Brasil pioravam. Desta vez foi diferente”, relatou. “O câmbio se desvalorizou com a percepção de melhora do País, com a Bolsa batendo recorde e redução do prêmio de risco.”

Na avaliação de Campos Neto, a pressão atual no câmbio é causada pelo movimento de pré-pagamento de dívidas das empresas no exterior.

PUBLICIDADE

Carne

Roberto Campos Neto afirmou que o impacto da carne na inflação foi sentido em novembro e em dezembro, mas que este processo foi adiantado para o ano de 2019. “O impacto da carne acelerou e adiantou em relação ao que esperávamos”, afirmou.

O presidente do BC também defendeu a permanência na autarquia do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf). Para Campos Neto, no BC, o Coaf “fica mais técnico”. Ele argumentou que o órgão é um banco de dados, passivo, e que não tem poder de investigação. “Em relação ao Coaf, o BC é o órgão mais apartado da política”, afirmou.

Invista melhor seu dinheiro. Abra uma conta na XP Investimentos clicando aqui