Demanda global por petróleo deve desacelerar ainda mais em 2025, diz AIE

Organização prevê que a demanda mundial por petróleo aumentará 1,2 milhão de barris por dia em 2024, abaixo da projeção anterior, e que o ritmo de consumo deve desacelerar ainda mais no ano que vem

Estadão Conteúdo

Produção de petróleo na Califórnia (Foto: David McNew/Reuters)

Publicidade

A Agência Internacional de Energia (AIE) cortou sua previsão para a alta na demanda global por petróleo este ano e disse que o ritmo de consumo deve desacelerar ainda mais em 2025, à medida que os efeitos da recuperação pós-pandemia se diluem e o lançamento de veículos elétricos afeta a procura pela commodity.

Em relatório publicado nesta sexta-feira (12), a organização com sede em Paris agora prevê que a demanda mundial por petróleo aumentará 1,2 milhão de barris por dia (bpd) em 2024. No documento anterior, a estimativa era de avanço de 1,3 milhão de bpd. Apesar do ajuste, espera-se ainda que o consumo total este ano fique em 103,2 milhões de bpd.

A demanda continuou a perder força no início do ano, com alta de 1,6 milhão de bpd no primeiro trimestre, abaixo das expectativas da AIE, em função de entregas significativamente fracas em países integrantes da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Continua depois da publicidade

Projeção para 2025

Para 2025, a AIE projeta alta na demanda de 1,1 milhão de bpd, o que traria o total no ano a 104,3 milhões de bpd. O esperado arrefecimento é atribuído principalmente à normalização dos níveis de crescimento após a pandemia de covid-19 e à crise energética desencadeada pela invasão da Ucrânia pela Rússia.

Ainda no relatório, a AIE espera que a oferta de petróleo fora da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) cresça 1,6 milhão de bpd este ano, reafirmando projeção anterior, e 1,4 milhão de bpd em 2025.

Em relação à oferta total de petróleo, a previsão para este ano continua sendo de 102,9 milhões de bpd, volume que deverá aumentar para 104,5 milhões de bpd em 2025, de acordo com a AIE.

Continua depois da publicidade

(Dow Jones Newswires)