Dados de inflação dos EUA são divulgados acidentalmente 30 minutos antes

Embora não tenha havido sinais óbvios de que a publicação inicial tenha influenciado os mercados, é provável que o episódio levante uma análise mais atenta da divulgação de dados

Bloomberg

Consumidores em Nova York (Yuki Iwamura/Bloomberg)

Publicidade

A Secretaria de Estatísticas Trabalhistas (BLS, na sigla em inglês) dos EUA publicou acidentalmente dados do Índice de Preços no Consumidor (CPI, na sigla em inglês) 30 minutos mais cedo nesta quarta-feira (15), levantando novas questões sobre a forma como o órgão divulga algumas das informações econômicas mais sensíveis do mundo.

Embora não tenha havido sinais óbvios de que a publicação inicial tenha influenciado os mercados, é provável que o episódio levante uma análise mais atenta da divulgação de dados que têm implicações para os preços globais dos ativos e para a política do Federal Reserve, o banco central americano.

“Antes dos lançamentos de hoje do CPI e dos ganhos reais, o BLS carregou inadvertidamente um conjunto de arquivos no site aproximadamente 30 minutos antes do lançamento”, disse a agência em um comunicado publicado em seu site na noite de quarta-feira.

Continua depois da publicidade

O BLS normalmente divulga seu relatório mensal sobre preços ao consumidor às 8h30 em Washington e está sujeito a protocolos rígidos destinados a impedir sua divulgação antecipada. Os números são examinados de perto por investidores e responsáveis do banco central à medida que procuram sinais sobre a direção da economia.

Os futuros do índice de ações dos EUA saltaram e os rendimentos do Tesouro caíram imediatamente depois que meios de comunicação, incluindo a Bloomberg News, divulgaram os dados oficiais do CPI às 8h30, com o índice S&P 500 terminando o dia em uma máxima histórica. Não houve movimentos bruscos de mercado no período de meia hora entre a divulgação antecipada dos dados e a data programada, sugerindo que os números iniciais passaram despercebidos pelos investidores.

“Suspeito que o mercado em geral não estava negociando nesta divulgação antecipada”, disse Mingze Wu, operador de câmbio da StoneX Financial em Cingapura. Ainda assim, Wu observou que 30 minutos seria um tempo “muito longo” para os traders reagirem a uma divulgação antecipada de dados, caso tomassem conhecimento disso.

Continua depois da publicidade

Esta não é a primeira vez que as práticas de dados de BLS são examinadas. Há um mês, a Bloomberg News informou que um economista do BLS discutia dados relacionados a um importante indicador de inflação dos EUA com grandes bancos de Wall Street, como JPMorgan e BlackRock, levantando questões sobre isonomia.

Em dezembro de 2022, uma recuperação nos futuros dos títulos do Tesouro segundos antes de dados de inflação melhores do que o esperado chegarem ao site do BLS levou a preocupações sobre um possível vazamento ou hack. O BLS disse na época que não encontrou nenhuma evidência de que seus sistemas estivessem comprometidos ou que havia qualquer atividade suspeita em torno do lançamento.

A agência disse que notificou o Escritório de Gestão e Orçamento e o Gabinete do Inspetor-Geral do Departamento do Trabalho sobre o incidente de quarta-feira.

Continua depois da publicidade

“O BLS leva a sério a segurança dos seus dados e está conduzindo uma investigação completa sobre seus procedimentos e controles para garantir que o incidente não se repita”, disse a agência.

© 2024 Bloomberg L.P.