Preocupação

China orienta cidadãos a estocarem comida diante do avanço da pandemia

Medidas rígidas estão sendo tomadas na tentativa de evitar mais uma onda da Covid-19

Por  Equipe InfoMoney

SÃO PAULO — O governo chinês pediu para que as pessoas mantivessem estoques de produtos básicos de alimentação, enquanto as autoridades apertam as regras para controlar um novo surto de Covid-19 no país.

A China vem enfrentando um aumento do número de casos da doença e estão administrando ‘lockdowns’ direcionados. Na última segunda-feira (1), o governo informou que foram 54 novos casos transmitidos localmente.

O Ministério do Comércio publicou nesta segunda um aviso que não citava a pandemia, mas que encorajava o mercado e as autoridades encarregadas de áreas que passaram por ‘lockdown’ recentemente a garantir o abastecimento de alimentos e preços estáveis ​​antes do inverno, após uma recente alta nos preços dos vegetais e um surto crescente de Covid-19. As informações são da Reuters, que teve acesso ao documento.

A China lida com volatilidade nos preços de alimentos no período que antecede o inverno, e os preços de hortaliças, por exemplo, subiram devido às chuvas e inundações. O anúncio do governo gerou uma onda de desespero e muitas pessoas correram para os supermercados em busca de suprimentos extras de óleo de cozinha, arroz, entre outros.

Inclusive, a imprensa local publicou listas de itens para estocar em casa, como macarrão, vitaminas, e até lanternas.

Entre as restrições, o governo chinês orientou que os cidadãos que estão viajando não retornem neste momento. Em Pequim, que registrou apenas 31 novas infeções  desde outubro, o governo local fechou cinemas e locais de entretenimento e deixou áreas residenciais em ‘lockdown’ tamanha preocupação com um avanço do surto.

As medidas drásticas se espalham em várias localidades. Em Xangai, as autoridades fecharam a Disney com mais de 30 mil pessoas no complexo após uma pessoa ter testado positivo. A administração do parque testou todas as pessoas que estavam no parque.

Diante da resposta do público, a imprensa estatal tentou administrar o momento: a recomendação do jornal Economic Daily, apoiado pelo Partido Comunista, foi que as pessoas evitem ter “uma imaginação hiperativa” e que o objetivo do anúncio era garantir que os cidadãos não fossem pegos de surpresa se houvesse um ‘lockdown’ em sua região.

Vale lembrar que também há uma preocupação do governo diante da aproximação dos Jogos de Inverno, que acontecem entre 04 e 20 de fevereiro de 2022 em Pequim. Já está definido que espectadores estrangeiros não poderão acompanhar presencialmente o evento.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Aprenda a transformar a Bolsa de Valores em fonte recorrente de ganhos. Assista a aula gratuita do Professor Su e descubra como.

Compartilhe