Mais vacinas previstas

Butantan planeja entregar mais 17,3 milhões de doses da CoronaVac até final de março, anuncia governo de SP

Anúncio dado pelo presidente do Instituto Butantan ocorre após confirmação da chegada de mais 5,6 mil litros de insumos da CoronaVac ao Brasil

Frascos com CoronaVac no Butantan (REUTERS/Amanda Perobelli)

SÃO PAULO – O governo de São Paulo anunciou, nesta segunda-feira (1), que o Instituto Butantan espera produzir mais 17,3 milhões da CoronaVac até o fim de março, e repassar as vacinas ao Ministério da Saúde ainda no começo de março. A CoronaVac é a vacina contra Covid-19 desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac.

O anúncio, dado em coletiva pelo presidente do Butantan, Dimas Covas, ocorre após a confirmação da exportação de mais 5,6 mil litros do ingrediente farmacêutico ativo para o Brasil. Segundo Covas, a remessa deve chegar ao estado no próximo dia 10. João Doria (PSDB), governador de São Paulo, afirmou que também recebeu a confirmação durante a coletiva no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista.

A carga de 5,6 mil litros faz parte de um segundo lote do principio ativo da vacina, que chega diretamente da China. O primeiro lote do IFA, com 5,4 mil litros, chega a São Paulo na próxima quarta-feira (3). Segundo o governo de São Paulo, a chegada do lote está prevista para as 23h30, no Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas.

Com os insumos em mãos, o instituto afirma que o total de 11 mil litros do IFA permite a produção de aproximadamente 17,3 milhões de doses da CoronaVac. “A partir do dia 25 de fevereiro, liberaremos em torno de 600 mil doses por dia, até atingir o total de 17,3 milhões de novas doses em março”, explicou Covas durante a coletiva.

O primeiro acordo entre Butantan e Sinovac permite a produção de 46 milhões de doses, sendo que as primeiras 6 milhões foram importadas prontas da China. O Butantan entregou 8,7 milhões de doses da CoronaVac ao Ministério da Saúde até o final de janeiro. Com as 17,3 milhões de novas doses, o total iria para 26 milhões de doses.

Segundo o diretor do Butantan, a expectativa do instituto é de receber, até o mês de abril, insumos para a produção do restante de doses contratadas inicialmente. O Butantan tem um pedido adicional de 8 mil litros do principio ativo em andamento, e mais serão necessários. “A produção prosseguirá muito rapidamente, até a integralização de 46 milhões”, complementou.

Um segundo acordo, de 58 milhões de doses, foi confirmado após o Ministério da Saúde mostrar interesses nas vacinas adicionais. Em coletiva de imprensa realizada na última sexta-feira (29), Covas confirmou ter recebido a manifestação de interesse do Ministério da Saúde. O acordo foi assinado no último sábado (30).

Vacinação em São Paulo

Segundo os últimos números do Vacinômetro, ferramenta digital desenvolvida em parceria com a Companhia de Processamento de Dados do Estado de São Paulo (Prodesp) que permite a qualquer pessoa acompanhar em tempo real o número de vacinados no estado, 421.808 pessoas foram vacinadas em São Paulo até às 13h46 desta segunda-feira.

Na próxima segunda-feira (8), começa em São Paulo a segunda fase da imunização, voltada para idosos acima de 90 anos. Na primeira fase de imunização, apenas profissionais da saúde, indígenas, quilombolas e idosos que moram em asilos foram vacinados em São Paulo e no Brasil, seguindo as diretrizes impostas pelo Programa Nacional de Imunização (PNI), do Ministério da Saúde.

PUBLICIDADE

Em seguida, a partir do dia 15 de fevereiro, começa a imunização dos idosos de 85 a 89 anos em São Paulo. Segundo as últimas atualizações do governo paulista, ainda não há datas para as próximas etapas de vacinação.

Quer ser trader e tem medo de começar? O InfoMoney te ajuda a chegar lá: participe do Full Trader, o maior projeto de formação de traders do Brasil e se torne um faixa preta em 3 meses – inscreva-se de graça!