Balança comercial brasileira teve superávit recorde de US$ 98,84 bilhões em 2023

Volume foi 60,6% maior que o saldo entre exportações e importações de 2022, de US$ 62,3 bilhões

Roberto de Lira

Publicidade

A balança comercial brasileira teve superávit teve saldo positivo acumulado de US$ 98,84 bilhões em 2023, confirmando assim o recorde histórico do comércio exterior brasileiro, informou nesta sexta-feira (5) a Secretaria de Comércio Exterior (Secex). O dado foi 60,6% maior que o saldo entre exportações e importações em 2022, de US$ 62,3 bilhões, um valor também recorde.

O dado consolidado foi fruto de exportações de US$ 339,67 bilhões (+1,7% ante 2022) e de importações de US$ 240,83 bilhões (-11,7%).

Segundo a Secex, o superávit comercial com os asiáticos China, Hong Kong e Macau alcançou US% 51,83 bilhões no ano passado, enquanto o saldo positivo com a Argentina somou US$ 4,72 bilhões e o com a União Europeia chegou a US$ 860 milhões. Já com os Estados Unidos, o Brasil apresentou déficit comercial de US$ 1,09 bilhão.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

No acumulado entre janeiro e dezembro de 2023, houve crescimento de 9,0% nas exportações da Agropecuária, que somou US$ 81,48 bilhões; crescimento de 3,5% em Indústria Extrativa, que chegou a US$ 78,83 bilhões; e queda de -2,3% na Indústria de Transformação, que alcançou US$ 177,19 bilhões.

Nas importações, por sua vez, houve queda de -21,0% na Agropecuária, que somaram US$ 4,50 bilhões; retração de -27,0% na Indústria Extrativa, para US$ 16,10 bilhões; e queda de -10,0% em Indústria de Transformação, que alcançou US$ 218,36 bilhões.

Especificamente em dezembro, o saldo comercial brasileiro alcançou US$ 9,36 bilhões, um crescimento de 106,5% sobre o mesmo mês do ano passado. As exportações no mês cresceram 9,5%, para US$ 28,84 bilhões, e as importações recuaram -10,7%, para US$ 19,48 bilhões.