Crise

Até 40% das empresas de NY informam corte de pessoal ante pandemia, diz Fed

Muitas companhias notam dificuldade para ter acesso a crédito e mostrando preocupação sobre sua solvência

Aprenda a investir na bolsa

O Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) de Nova York lembra em relatório que, por causa do coronavírus, os Estados de Nova York, Nova Jersey e Connecticut paralisaram as atividades não essenciais e as escolas e recomendaram que seus moradores fiquem em casa, como parte do esforço para desacelerar a disseminação do coronavírus.

“Essas ações são sem precedentes e os impactos econômicos devem ser temporários, mas severos”, diz a distrital do BC dos Estados Unidos.

Nesse contexto, o levantamento do Fed de Nova York aponta que 40% das empresas do setor de serviços e 30% daquelas do setor manufatureiro estão reportando reduções de pessoal, com muitas companhias notando dificuldade para ter acesso a crédito e mostrando preocupação sobre sua solvência.

O Fed NY também disse que questionou as companhias sobre como elas pretendiam cobrir a falta de receita nesse período. Usar reservas foi uma alternativa amplamente mencionada, seguida por fazer um uso maior de linhas de crédito, comenta a instituição.

Alguns empresários citaram que usavam economias pessoais, enquanto alguns poucos falavam em fazer novos empréstimos ou pedir um seguro por interrupção dos negócios.

O Fed de Nova York destaca, porém, que “um número considerável das empresas comentou que as políticas de seguro para interrupção de negócios não cobririam problemas resultantes da pandemia de coronavírus”.

Aprendizados em tempos de crise: uma série especial do Stock Pickers com as lições dos principais nomes do mercado de ações. Assista – é de graça!