Mais restrições

Argentina aumenta limite para compra de dólares e cria novo imposto para gastos na moeda

Também haverá mais restrições para abrir contas em dólares nos bancos.

Alberto Fernandez
Alberto Fernandez, presidente da Argentina (Foto: Ricardo Ceppi/Getty Images)

O Banco Central da República Argentina (BCRA) anunciou na terça-feira (15) medidas para reforçar o controle no câmbio, para “promover uma atribuição mais eficiente das divisas”, além de evitar operações “disruptivas” de investidores não residentes nos mercados financeiros.

Com isso, o governo aumentou o controle para compra de dólares, além de criar um novo imposto de 35% para gastos em cartão de crédito com a divisa, em medida que entra em vigor nesta quarta-feira (16) e vai até 31 de dezembro.

O BCRA diz que almeja ainda favorecer o desenvolvimento do mercado de capitais local, bem como lançar as bases para uma renegociação da dívida privada externa compatível com o “funcionamento normal do mercado de câmbio”.

PUBLICIDADE

O BCRA diz que pretende manter o limite de US$ 200 mensais vigente para que os argentinos possam comprar a moeda americana, mas busca desestimular que isso seja usado para poupança ou gastos com cartão. Os gastos com moeda estrangeira em cartões de débito e crédito, aliás, passarão a fazer parte desse limite de US$ 200 ao mês, diz comunicado da instituição. Se os gastos no cartão superarem esse limite em algum mês, o excedente será descontado do limite dos meses subsequentes, explica o BCRA.

Vale destacar que, no fim do governo de Mauricio Macri, a compra mensal de dólares por pessoa foi limitado a US$ 200, decisão esta que segue vigente. Contudo, haverá aumento no valor pelo qual se paga pela divisa nas casas de câmbio.

O “dólar solidário”, que é destinado apenas para fins de poupança, vai de 103 pesos para 131 pesos.

Já o imposto de 35% também vai incidir sobre preços de produtos importados e compras em sites internacionais, o que incluem serviços de streaming como Netflix, Spotify, iCloud, entre outros.

Também haverá mais restrições para abrir contas em dólares nos bancos.

Orçamento

O governo local também deu detalhes sobre sua estratégia econômica, com o projeto orçamentário para o próximo ano.

PUBLICIDADE

O governo do presidente Alberto Fernández também enviou ao Congresso seu primeiro projeto de lei de Orçamento, para 2021. O Ministério da Economia prevê déficit primário equivalente a 4,5% do Produto Interno Bruto (PIB), uma recuperação “robusta” da receita pública e crescimento de 5,5% da economia.

Projeta ainda inflação ao consumidor em 29%, com o dólar “em torno dos 102 pesos”, segundo comunicado da pasta.

O texto diz que o governo terá “um papel central no processo de recuperação econômica”, mas também promete “esforços consistentes” pelo equilíbrio fiscal, que sejam “compatíveis com uma trajetória de crescimento inclusivo”.

(Com Agência Estado)

Newsletter InfoMoney
Informações, análises e recomendações que valem dinheiro, todos os dias no seu email:
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.