Em conteudo-patrocinado

Conheça os 5 principais erros dos investidores e saiba como ganhar mais

Assessora compartilha os principais deslizes cometidos pelos clientes em sua avaliação inicial 

Os brasileiros ainda não sabem investir do melhor modo. Segundo números do Banco Central, há mais de R$ 660 bilhões aplicados na Poupança, uma das modalidades de menor rendimento disponíveis para quem quer aumentar o patrimônio. Mas até mesmo quem já migrou para aplicações mais rentáveis comete erros e prejudica o retorno no longo prazo. Se você está em dúvida se é um desses casos, clique aqui e faça uma simulação.

Christine Zalazar, assessora de investimentos na Messem, um dos maiores escritórios do Brasil, identifica os cinco maiores erros que costuma encontrar quando começa a atender novos clientes e compartilha com o InfoMoney. Confira:

Pouca diversificação

Quem tem algum contato com o mundo dos investimentos já ouviu a famosa expressão “não coloque todos os ovos na mesma cesta”, mas ainda assim esse continua sendo um dos erros mais comuns. Ela conta que já atendeu clientes que tinham todo o patrimônio investido em CDBs, Poupança ou Previdência.

A diversificação deve ser feita até mesmo dentro da renda fixa, considerando ativos préfixados e pós-fixados em juros ou inflação, para diminuir o risco de que um ativo que venha a performar mal prejudique todo o seu rendimento. Quando se fala em diversificação na renda fixa, ela lembra que muitos investidores, até mesmo alguns mais experientes, esquecem-se de avaliar oportunidades como LCIs, LCAs e títulos de crédito privado.

Sem perfil traçado

Antes de começar a escolher as melhores aplicações, todo investidor precisa entender quais são os objetivos financeiros e traçar o seu perfil. “Muitas vezes ele tem um perfil mais arrojado do que imaginava, podendo acessar produtos mais sofisticados”, explica.

Esse desconhecimento faz com que o investidor desconsidere logo de início aplicações como fundos multimercados e COEs, que se desenvolveram com uma série de novos produtos nos últimos anos e que podem apresentar rentabilidades mais atrativas para investidores com perfis moderados ou arrojados.

Falta de acompanhamento

Qual foi a última vez que você analisou o desempenho dos seus investimentos? Se você não sabe responder, então muito provavelmente faz parte de um dos principais erros do investidor. “A falta de acompanhamento prejudica muito, a maioria dos clientes que iniciamos o trabalho não sabe nem mesmo quanto paga o CDB do banco ou quanto seus fundos estão rendendo”, explica Christine.

Esse acompanhamento envolve comparar seus investimentos com outros produtos e é importante para entender se a estratégia adotada foi adequada, bem como se os produtos escolhidos continuam fazendo sentido dentro da estratégia e de acordo com as mudanças de cenário que ocorrem a todo momento. Para uma rápida avaliação de seus investimentos e entender se você poderia ganhar mais, faça uma simulação clicando aqui.

Carteira sem mudanças

O acompanhamento da carteira tem ligação direta com outro tópico importante para os investidores: o rebalanceamento dos investimentos. Isso porque a estratégia adotada há um ano pode não ser a melhor escolha agora. “Precisamos fazer trocas estratégicas e identificar oportunidades de compra e venda de acordo com o cenário”, explica a assessoria.

Ela conta que em 2016 o escritório trabalhou bastante com títulos públicos de longa duração, mas agora chegou o momento de realizar os ganhos e trocar por ativos mais curtos. Alguns títulos públicos mais longos continuam com ganhos acumulados acima de 20% em um ano, chegando a 27% de rentabilidade no Tesouro Prefixado para 2023.

Falta de assessoria

Apesar da melhora no perfil do investidor brasileiro nos últimos anos, o desconhecimento ainda é grande, especialmente com novas modalidades de aplicações ganhando força nos últimos anos. “O especialista pode ajudar a identificar as melhores oportunidades para auxiliar com a organização financeira”, explica Christine. A ajuda de um especialista é uma prática consolidada em mercados mais maduros, como nos EUA e na Europa, mas também tem apresentado forte crescimento no Brasil nos últimos anos.

Para saber como um assessor pode te ajudar, clique aqui e faça uma simulação dos seus investimentos.

 

 

Contato