Turismo

Vacina leva viajantes de lazer a planejar destinos em 2021

Vacinação que começou nos Estados Unidos e Reino Unido está levando os amantes de viagens a imaginar as férias novamente

(Getty Images)

Etapa 1: tome a vacina. Etapa 2: voe para Veneza, na Itália, e aprecie a magia dos canais, pontes e becos. Próxima parada? Modena, para visitar o museu da Ferrari. Então, desceremos para Florença, com uma degustação de vinhos na Toscana, naturalmente. Depois disso, é melhor passar por Pisa, Roma, Sorrento e Capri antes de voar para a Grécia por alguns dias.

Esse é o plano que um casal na Pensilvânia, nos Estados Unidos, está traçando para sua lua de mel no mundo pós-Covid. Embora as precauções de saúde tenham feito com que a maioria das viagens de lazer fossem suspensas por tempo indeterminado durante a pandemia, a vacinação que começou nos Estados Unidos e Reino Unido está levando os amantes de viagens a imaginar as férias novamente.

Os planos estão sendo feitos enquanto o vírus ainda está se espalhando, as fronteiras ainda têm restrições e muitos hotéis ainda estão fechados. Mas planejadores de viagens em série – aqueles que gostam de pesquisar sites, vasculhar o Instagram em busca de inspiração e organizar tudo em planilhas detalhadas – dizem que estão experimentando um renovado senso de esperança para 2021.

“Finalmente existe um horizonte”, disse Jack Ezon, fundador e sócio-gerente da Embark Beyond, empresa de viagens de luxo e eventos de Nova York. No último mês, ele viu uma demanda crescente para o terceiro e quarto trimestres de 2021. “Temos corrido sem uma linha de chegada.”

A crise do coronavírus cancelou abruptamente a maioria das viagens, incluindo as férias planejadas há muito tempo. A imprevisibilidade das mudanças nas regras e aumento de casos significava que menos pessoas estavam confiantes em reservar viagens com muita antecedência.

Durante meses, Tracie Jones, 32, de West Chester, Pensilvânia, planejou sua lua-de-mel europeia de duas semanas na Itália e na Grécia, preenchendo Google Docs e planilhas. Mas a gestora do projeto estava relutante em realmente apertar o botão de compra, devido ao estado da pandemia.

“É difícil planejar porque estou com muito medo de gastar milhares de dólares quando algo maluco pode acontecer novamente”, disse ela.

O surgimento da vacina começou a mudar sua perspectiva. Jones – que deve se casar com o noivo Tyler Cohen em junho – diz que está vendo os preços subirem, então começou a reservar estadias no Airbnb. É provável que ela compre seus voos para Veneza nas próximas semanas. O orçamento da viagem é de cerca de US$ 8.000.

Uma pesquisa da Oliver Wyman com mais de 4.600 pessoas de nove países, incluindo os EUA, Reino Unido, Canadá e China, descobriu que 63% das pessoas disseram que viajarão o mesmo ou mais para lazer quando a pandemia acabar.

PUBLICIDADE

Quando as viagens retornam aos níveis anteriores à Covid, 33% das pessoas pretendem gastar mais em viagens, de acordo com pesquisa com mais de 8.000 pessoas pelo mercado de locação VRBO. A empresa de hotéis Hilton diz que 66% dos americanos e 60% dos viajantes chineses planejam desistir de adiar as viagens da “lista de desejos” quando as restrições diminuírem.

“Estamos vendo o interesse na primavera e no verão de 2021 crescendo, indo em direção a um horizonte de reservas mais tradicional”, disse Jo McClintock do serviço de reservas de viagens Skyscanner.

Alison Jameson conta com uma vacina. A mulher de 64 anos do Colorado diz que sente que precisa recuperar o atraso de um ano sem viajar. Em 2020, ela perdeu dois casamentos, várias reuniões, uma viagem à Alemanha, outra a Roma, a atuação de uma sobrinha em uma peça da escola e a atuação de um sobrinho em uma apresentação da faculdade. Isso significou muitos pontos de recompensa não utilizados que ela planeja fazer bom uso no ano novo.

Seu itinerário muito provisório para 2021: em maio, para o fim de semana do Memorial Day, uma estadia no Ritz Carlton em Beaver Creek. Uma viagem para ver os arcos de arenito em Moab, em Utah, em junho. Um cruzeiro Viking por Londres, Escócia, Círculo Polar Ártico e Noruega em julho. No fim de semana do Dia do Trabalho, algumas noites no Waldorf Astoria em Cabo San Lucas, México. E com sorte, no final do ano, uma viagem à Alemanha para visitar os mercados de Natal.

“Todos nós precisamos ser vacinados, ou não iremos”, disse ela.

Há uma demanda reprimida e uma compreensão dos riscos relacionados às viagens, disse Bruce Spear, sócio da Oliver Wyman.

Ezon, da Embark Beyond, diz que um padrão pós-pandêmico está surgindo na indústria de viagens: as pessoas agora estão planejando viagens de uma forma que podem planejar suas finanças, a curto, médio e longo prazo.

Antes da pandemia, Ezon disse que lutava para que as famílias dos clientes preenchessem o que ele chama de “plano de cinco anos” para viagens. Agora, mais pessoas o estão levando a sério, mapeando as viagens em 2021 e estabelecendo metas para datas tão distantes como 2026 para encaixar as viagens em marcos importantes da vida.

PUBLICIDADE

Jones tem esperança de que ela possa comemorar sua lua de mel em setembro. Ela e o noivo fazem uma grande viagem todos os anos, mas em 2020 tiveram férias menores em Long Island.

“Foi muito bom”, disse ela. “Mas a região vinícola de Long Island não se compara à Toscana.”

Dicas de viagem para 2021

Os especialistas em viagens oferecem algumas dicas para aqueles que estão se distraindo com o planejamento da viagem:

Cuidado com o acúmulo de 2020. “A maior parte das viagens para 2021 são, na verdade, de pessoas que adiaram 2020”, disse Charlotte Wells, da empresa de viagens de luxo Abercrombie & Kent. “Muitas dessas viagens já estão marcadas. Muitas dessas belas pousadas, locais remotos, já estão com uma capacidade decente. Estamos incentivando as pessoas a sonhar grande e planejar com antecedência”.

Flexibilidade de demanda. Se a pandemia mudou alguma coisa sobre viagens, é a disposição dos provedores de companhias aéreas a hotéis de permitir que os clientes mudem de planos, pelo menos por enquanto. Os especialistas dizem que isso se aplica até mesmo a bilhetes econômicos. Como a imprevisibilidade continuará em 2021, procure opções se seus planos precisarem mudar.

Pense na segunda metade de 2021. “Não recomendamos o planejamento de ir a qualquer lugar nos primeiros dois trimestres porque parece que as coisas vão piorar antes de melhorar”, disse Ezon, da Embark Beyond. Ele vê junho ou julho como pontos de partida razoáveis por enquanto. E então novembro ou o final de 2021 como um momento para pensar em viagens mais exóticas e de longa distância.

Quer migrar para uma das profissões mais bem remuneradas do país e ter a chance de trabalhar na rede da XP Inc.? Clique aqui e assista à série gratuita Carreira no Mercado Financeiro!