Uso de robôs auxiliares em cirurgias hospitalares deverá dobrar neste ano

Esse tipo de operação é mais caro, porém mais preciso e menos invasivo e a recuperação do paciente é mais rápida

Equipe InfoMoney

Publicidade


SÃO PAULO – A robótica está se desenvolvendo cada vez mais e pode estar no começo de um boom semelhante ao que se deu com os computadores pessoais na década de 90. Um dos setores que se beneficiam dessa expansão é o médico.

Em cirurgias, andróides podem ser muito úteis, dando maior precisão aos procedimentos e permitindo que cortes menores sejam feitos nos pacientes. Estão sendo desenvolvidos robôs com sensibilidade de toque, que poderão avaliar a textura de tecidos internos e perceber infecções.

Mais caras, porém mais precisas e menos invasivas

As cirurgias realizadas com o auxílio de robôs custam duas vezes mais que as convencionais, porém são menos invasivas e implicam em menor perda de sangue, complicações e dor para o paciente.

Masterclass Gratuita

Rota Liberdade Financeira

Aprenda a investir e construa um patrimônio do zero com o treinamento exclusivo do InfoMoney

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Além disso, a recuperação costuma ser mais rápida. Segundo dados publicados na Newsweek, pacientes de intervenções ajudadas por robôs retomam suas funções urinárias e sexuais em cerca da metade do tempo dos que passaram por operações comuns.

O uso de andróides em cirurgias está crescendo. Em 2005, cerca de 36 mil operações do gênero foram realizadas nos EUA, número 50% acima do registrado no ano anterior. A perspectiva é de que neste ano o número ultrapasse a marca das 70 mil cirurgias.