Turismo na cidade de São Paulo bate recorde em 2010

Segundo dados do Observatório do Turismo da Cidade de São Paullo, 11,7 milhões de pessoas visitaram a capital paulista

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – A atividade turística na cidade de São Paulo bateu recorde no ano passado. Segundo dados do Observatório do Turismo da Cidade de São Paulo, divulgados na última sexta-feira (28), 11,7 milhões de pessoas visitaram a capital paulista em 2010. Destes, 1,6 milhão eram estrangeiros e 10,1 milhões brasileiros, que gastaram R$ 9,6 bilhões na cidade.

Os números sinalizam um crescimento de 3,54% no número de turistas, na comparação com 2009. Com esses dados, São Paulo se consolidou como o principal destino turístico do País.

A ocupação dos hotéis também aumentou em 2010. Segundo a SPTuris, o setor fechou o ano com uma taxa média anual de ocupação de 68,5%, inédita. Em alguns períodos, a taxa chegou a ultrapassar 90% de ocupação.

Três pontos
“Temos trabalhado pensando sempre no tripé eventos, negócios e agenda cultural. Assim, hoje somos o primeiro destino do país, temos a melhor infraestrutura turística, com uma oferta de 42 mil quartos em 410 hotéis, e passamos a trabalhar usando o que a cidade tem de melhor a favor do turismo, que é o conceito de economia criativa”, disse o presidente da SPTuris, Caio Luiz de Carvalho.

Segundo ele, os principais fatores que têm ajudado a puxar o crescimento do setor são o incremento na oferta de atividades culturais e o uso dos próprios costumes paulistanos como produtos turísticos.

“São Paulo também vem atraindo muitos shows e eventos internacionais, musicais da Broadway, tem uma das melhores night lifes do mundo, e tivemos a criação da Virada Cultural e também de equipamentos culturais excepcionais, como os museus da Língua Portuguesa e do Futebol. Tudo isso forma esse caldeirão cultural que é a cidade e desperta o interesse dos potenciais visitantes”, afirmou Carvalho.

ISS
A arrecadação do ISS (Imposto Sobre Serviço) sobre a atividade turística também surpreendeu, ao crescer 26,6% em relação ao ano anterior, totalizando R$ 158,4 milhões.

O número exclui as receitas extras geradas direta ou indiretamente pela cadeia produtiva do entretenimento e serviços.