Black Friday é hoje

Reclamações na Black Friday aumentam 44%; faturamento cresce 70%

O Reclame Aqui informou as empresas que mais receberam reclamações até agora, os principais problemas reportados e os produtos mais problemáticos

Teclado branco de computador onde a tecla "enter" foi substituída por uma tecla preta com um carrinho de compras escrito "black friday"
(Shutterstock)
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O Reclame Aqui, site brasileiro que compila reclamações contra empresas, está monitorando desde as 11h da quarta-feira (27) as queixas sobre Black Friday no Brasil. De acordo com o portal, até as 12h desta sexta-feira (29) já foram recebidas 4.800 reclamações.

Como aponta o site, o volume já é 44% maior do que o registrado no mesmo período da Black Friday de 2018. Para que o consumidor entenda a dimensão das queixas, o site tem registrado uma média de mais de 80 reclamações por hora apenas sobre Black Friday.

O Reclame Aqui disponibiliza as informações publicamente na página inicial de seu site com o ranking das empresas mais reclamadas, problemas e produtos mais citados, além de lista de trends que apontam tendências de empresas mais buscadas de hora em hora.

Aprenda a investir na bolsa

O site disponibilizou as empresas que mais receberam reclamações até agora, os principais problemas reportados, além dos principais produtos que tiveram mais queixas. Todos os números se referem ao período de 11h da quarta-feira (27) até 12h dessa sexta-feira (29). Confira os dados nas tabelas abaixo:

Empresas mais reclamadasNúmero de reclamações
Kabum148
Lojas Americanas148
Casas Bahia117
Magazine Luiza115
Mélios109
Saraiva109
Carrefour94
Adidas94
Netshoes90
Zee Dog86

 

Problemas mais reportados Porcentagem das reclamações
Propaganda enganosa28,69%
Problemas na finalização da compra11,23%
Divergência de valores9,44%
Atraso na entrega7,83%
Estorno do valor pago4,29%

 

Produtos com mais reclamaçõesPorcentagem das reclamações
Celular10,2%
Tênis6,67%
Componentes, peças e acessórios4,32%
Televisores3,7%
Cartão de crédito3,64%

Faturamento nas primeiras horas sobe 69%

Como mostra um levantamento da EbitNielsen, consultora sobre varejo eletrônico da Nielsen, as primeiras 7 horas de vendas na sexta-feira de Black Friday no e-commerce totalizaram um faturamento de R$ 362,1* milhões. Esse número um aumento de 69% frente ao mesmo período do ano passado – quando as vendas somavam R$ 213,8* milhões.

Ainda de acordo com os dados da consultoria, em 7 horas, o varejo online brasileiro vendeu quase metade do total faturado o esquenta Black Friday (25 a 27 de novembro), quando o total foi de R$ 751 milhões.

O tíquete médio para as primeiras horas da sexta-feira de Black Friday foi de R$ 808, crescimento de 5% na comparação com 2018 (R$ 769).

Volume de pedidos nas primeiras horas cresceu 61%

PUBLICIDADE

O volume de pedidos nestas sete horas de sexta-feira de Black Friday foi de 448 mil, o que representa um aumento de 61% frente ao mesmo período de 2018 – que registrou um total de 278 mil pedidos. Entre 5h e 6h da manhã, o volume de pedidos atingiu 28 mil, uma variação de 206% na comparação com a mesma faixa de horário do ano anterior.

Faturamento das vendas na quinta feira pré-Black Friday aumenta 20%

As vendas durante a quinta-feira que antecede a Black Friday totalizaram um faturamento de R$ 731 milhões – número 20% maior que o registrado no mesmo período de 2018, quando as vendas para a véspera da data somaram R$ 608,7 milhões.

*Correção após a EbitNielsen informar que o valor de faturamento não era R$ 724 milhões, e sim de R$ 362,1.  

Realize seus sonhos de consumo. Invista. Abra sua conta na XP – é grátis