Fuja de tentações

Mudanças de hábitos podem te ajudar a passar longe das compras por impulso

Primeira coisa a se fazer é estabelecer uma estratégia antes do risco de cair em tentações na hora de comprar

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Você se sente feliz ao digitar a senha do cartão de crédito após comprar uma roupa, assinar o cheque ao adquirir um produto tecnológico? Isso tem uma explicação científica: a liberação de endorfina, um hormônio que provoca sensação de bem-estar, euforia e relaxamento. Os lojistas sabem disso e querem incentivar você a gastar. Para isso, valorizam o local da compra, apontado como um dos motivos que mais influenciam os brasileiros na hora de gastar. Segundo pesquisa feita pelo SPC Brasil, em 35% dos casos o shopping center é o espaço mais utilizado, enquanto 23% preferem lojas virtuais.

A pesquisa também revelou que vestuário, cosméticos e aparelhos eletrônicos estão entre os produtos mais procurados pelos consumidoores. Esses dados podem ser usados a favor da própria conta bancária e do controle financeiro na hora das compras. Afinal, não existe felicidade que dure com o saldo negativo.

E para ajudar na missão, o Portal Meu Bolso Feliz listou as maneiras de você, consumidor, aproveitar as informações sem ceder ao impulso de compra. “As pessoas estão mais consumistas por causa das facilidades que o mercado oferece. Você parcela sua compra e nada parece ser complicado”, avalia Vera Rita de Mello Ferreira, consultora de psicologia econômica e autora do livro “Decisões Econômicas – você já parou para pensar?”.

Por isso, a primeira coisa a se fazer é estabelecer uma estratégia antes do risco da compra por impulso. Por isso, pense antes da compra e lembre-se: faça isso quando estiver tranquilo. Sentimentos intensos como raiva, frustração e tristeza acabam te tirando do foco.

Confira 5 dicas para te ajudar a passar longe da compra por impulso:

1. Se você costuma frequentar shoppings e comprar por impulso, mas não quer abandonar o hábito de passear nesse tipo de estabelecimento, deixe o cartão de crédito em casa.

2. Combine de ir ao shopping com outra pessoa que tem o hábito de ser mais controlada e peça para que ela te “monitore”.

3. Faça um exercício mental e pense: eu não vou me proibir de comprar, afinal, eu posso, mas não agora. Na maioria das vezes, a vontade passa e depois dá até preguiça de voltar para comprar.

4. Se o problema for a compra on-line, evite navegar por sites de compra por um tempo. Substitua o hábito por, por exemplo, folhear uma revista de moda ou olhar portais que falem sobre o assunto.

PUBLICIDADE

5. Encontre um hábito, hobbie ou interesse que não esteja ligado ao consumo. A compra te dá um prazer momentâneo. Já um hábito como caminhar, por exemplo, é mais consistente e te oferece mais satisfação e preenchimento.