Carro elétrico

Mercedes prepara 1º rival da Tesla em ataque de US$ 12 bilhões

Carro começa a ser produzido no primeiro semestre do ano que vem

arrow_forwardMais sobre

A Mercedes-Benz, maior fabricante de carros de luxo do mundo, está lançando o primeiro de uma série de modelos movidos a bateria, ampliando o número crescente de marcas de alto padrão que estão fazendo frente à Tesla.

O crossover Mercedes EQC começará a ser produzido no primeiro semestre do ano que vem, parte de um plano para desenvolver uma linha elétrica EQ, disse o CEO da Daimler, Dieter Zetsche, a jornalistas em Estocolmo no lançamento mundial do carro. A companhia pretendia investir 10 bilhões de euros (US$ 12 bilhões) na iniciativa de carros elétricos, mas o investimento acabou sendo “maior que isso”, disse ele nesta terça-feira, sem especificar números.

“Os carros elétricos são a única aposta possível, e estamos apostando tudo”, disse Zetsche. “Essa aposta começa agora.”

O carro se soma ao Porsche Taycan, ao Audi E-tron e ao Jaguar I-Pace e coloca pressão sobre a Tesla em um momento em que a fabricante de veículos com sede na Califórnia se esforça para acelerar o Model 3 e obter lucro. A Mercedes planeja montar o EQC em sua fábrica de Bremen, onde a empresa produz também o sedã campeão de vendas Classe C. A Daimler produzirá na China o carro para o mercado local.

O EQC será lucrativo e vai “oferecer o melhor pacote” em comparação com os rivais, disse ele, que não quis fazer comentários sobre preços.

A Mercedes e outras marcas de luxo estão investindo agressivamente nos carros elétricos para desafiar a Tesla, que fez sucesso entre os consumidores ricos com o Model S. Incluindo a marca Smart, que abandonará os motores de combustão nos próximos anos, a Daimler planeja oferecer 10 carros totalmente elétricos até 2022. Para ressaltar a mudança, a Mercedes investirá 1 bilhão de euros na produção de baterias para criar uma rede global de oito instalações.

A Daimler não planeja estabelecer uma fábrica de montagem específica para os carros elétricos e montará esses veículos no mesmo lugar que os automóveis convencionais para poder ajustar melhor a produção, disse Zetsche, acrescentando que ele acha que a demanda vai basicamente reduzir a venda dos carros a combustão, em vez de atrair novos clientes.

Além de responder à mudança nas preferências dos consumidores, os modelos elétricos são fundamentais para que as fabricantes de veículos cumpram os padrões cada vez mais rigorosos para as emissões. Países como Reino Unido e França planejam até mesmo proibir os motores de combustão nas próximas décadas.

A consolidação dos carros elétricos também ajudaria a Daimler a superar as preocupações relacionadas a seus veículos a diesel. O Ministério dos Transportes da Alemanha ordenou o recall de 774.000 carros devido às alegações de que os veículos estavam equipados com um software questionável que os faziam poluir mais nas ruas do que nos testes.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Embora tenha a Tesla na mira, Zetsche elogiou o CEO Elon Musk por ter popularizado os carros elétricos. Mas a Daimler não tem planos de considerar investir novamente na empresa. “Este não é um bom momento”, disse ele.