Efeitos do coronavírus

Medo do coronavírus faz redes de fast-food e varejistas na China fecharem

Mc Donald's, KFC e Starbucks estão entre as lojas que suspenderam suas atividades por conta do surto

SÃO PAULO – Encarada como uma emergência global de saúde, a epidemia de coronavírus tem afetado o mercado no mundo inteiro e gerado o fechamento temporário de diversas lojas de fast-food e varejo da China.

McDonald’s, KFC, Pizza Hut e Starbucks estão entre as redes que anunciaram o fechamento de suas unidades em conjunto com as quarentenas em massa e as ordens para interromper o transporte público na cidade de Wuhan, considerado o epicentro da epidemia que já vitimou 170 pessoas na China.

Segundo comunicado oficial divulgado na conta oficial da Starbucks Weibo (maior rede social chinesa), a empresa encerrou as atividades em todas as lojas em Wuhan e na província de Hubei até 2 de fevereiro para impedir a propagação do vírus entre funcionários e clientes.

PUBLICIDADE

O KFC e a Pizza Hut confirmaram que as lojas estão fechadas desde 24 de janeiro e permanecerão “até novo aviso”.

Ao site Business Insider, o Mc Donald’s informou que todas as operações de restaurantes foram suspensas em Wuhan, Ezhou, Huanggang, Qianjiang e Xiantao.

“As máscaras estão sendo distribuídas com urgência, para que em breve todas as equipes do país as usem”, disse o McDonald’s em comunicado.

A Ikea, varejista sueca presente em 34 países, fechou temporariamente nesta quinta-feira (30), todas as lojas na China continental. A Gap Inc. foi outra multinacional que fechou cinco de suas lojas homônimas na China por temor dos efeitos do coronavírus.

Um dos principais grupos de moda presente no mercado chinês, a H&M fechou 97 de suas 520 lojas na China continental. Em Wuhan, a companhia encerrou temporariamente todas as suas atividades comerciais.

Invista com quem entende do assunto: abra uma conta gratuita na XP