McDonald’s não está para peixe: consumidores reclamam de sumiço do Mc Fish

Usuários relatam que estoque do lanche esgotou mais rápido que o prazo estipulado

Maria Luiza Dourado

MC Fish (Divulgação)
MC Fish (Divulgação)

Publicidade

Consumidores têm usado as redes sociais e até plataformas como o ReclameAqui para questionar o fim da venda no Brasil do Mc Fish — o lanche deveria estar disponível ao menos entre 6 e 18 de fevereiro nos pontos de venda, mas acabou bem antes disso. O retorno do sanduíche, que deixou o cardápio da rede de fast-food em 2019, ganhou repercussão entre os frequentadores do McDonald’s.

A rede de fast-food criou uma estratégia para o retorno do lanche composto de peixe empanado, molho tártaro, cheddar e pão. Em 17 de janeiro, a companhia realizou uma pré-venda para relacionada ao Mc Fish que exigia cadastro com nome completo, CPF e-mail e data de nascimento. Clientes da pré-venda deveriam retirar seus lanches em restaurantes selecionados de 30 de janeiro a 5 de fevereiro.

No relançamento, o preço do combo médio do Mc Fish, que inclui batata e bebida, saiu a partir de R$ 30,90, e o lanche avulso, a R$ 19,90. Além disso, foi lançado o Mc Fish Duplo, um lanche com dois filés de peixe e queijo, com o combo médio custando R$ 35,90 e o sanduíche avulso, R$ 24,90.

Continua depois da publicidade

A promessa era que o lanche estaria disponível para o público geral de 6 a 18 de fevereiro — o que parece não estar acontecendo, segundo relatos de consumidores nas redes sociais.

O Reclame Aqui também concentra queixas sobre o sumiço do Mc Fish. Veja:

Reclamações colhidas em 15/02/2024 na plataforma ReclameAqui (Reprodução)

O McDonald’s disse, em comunicado à imprensa, que a venda do Mc Fish ao público geral foi maior do que a previsão, o que resultou no esgotamento do estoque do lanche em restaurantes em todo o país.

Continua depois da publicidade

O InfoMoney perguntou ao McDonald’s quantas unidades do Mc Fish foram disponibilizadas durante o relançamento do lanche, mas não obteve resposta até esta publicação.

Ao jornal “Folha de S.Paulo”, o McDonald’s afirmou estar trabalhando para auxiliar os consumidores a encontrar o lanche de peixe, direcionando-os a estabelecimentos que ainda tenham o produto, que deve ser retirado do cardápio até domingo (18).

Estratégia

Segundo especialistas, o McDonalds se valeu do marketing de escassez na campanha do Mc Fish. Marketing de escassez consiste em gerar um senso de urgência no consumidor para a compra de um produto a partir de um volume limitado a ser ofertado — a limitação pode ser natural ou criada artificialmente.

Continua depois da publicidade

“No caso do Mc Fish, a decisão de escassez foi tomada pela empresa, o Mc Donald’s”, pontua Maurício Felício, docente de comunicação e publicidade da ESPM e head de mídia da Energy BBDO.

“Ainda que a gente veja muitas reclamações, entendo que o Mc Donald’s quis fazer um teste [para entender se vale a pena reinserir o lanche no cardápio]. E a empresa teve sua resposta: as comunidades proliferaram muito a comunicação e a pré-venda foi um sucesso”, explica.

Além disso, o profissional pondera a necessidade de alguém “ficar sem” para que o marketing de escassez cumpra o seu papel de gerar senso de urgência de compra. “Se ninguém tivesse ficado sem, não acreditaríamos mais quando o McDonald’s lançasse qualquer outro item dizendo que é uma edição limitada. É papel do marketing de escassez gerar frustração em alguns”, enfatiza.

Maria Luiza Dourado

Repórter de Finanças do InfoMoney. É formada pela Cásper Líbero e possui especialização em Economia pela Fipe - Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas.