Filminho em casa

Mais de mil salas de cinema devem fechar no Brasil, em meio a esforço para conter avanço do coronavírus

Hollywood tem pior fim de semana em 22 anos e lançamentos, como o novo filme da franquia James Bond, são adiados

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – As medidas de prevenção para conter a pandemia de coronavírus no Brasil devem incluir os cinemas, com o fechamento de mais de 1.000 salas de cinema em todo o país até o final de março.

O governo estadual do Rio de Janeiro e o Distrito Federal determinaram a suspensão das operações dos cinemas para evitar aglomerações e diminuir os riscos de propagação do novo coronavírus. Os locais permanecerão fechados por 15 dias, contando a partir do último fim de semana.

Em São Paulo, o governador João Dória sugeriu que os cinemas permaneçam fechados por, no mínimo, trinta dias. Mas não houve decreto.

PUBLICIDADE

UCI e Cinemark, as maiores exibidoras do país, divulgaram seguir a orientação da Federação Nacional das Empresas Exibidoras Cinematográficas (Feneec) e que estão em contato com as autoridades locais para acompanhar os esforços pela contenção da Covid-19.

Diante do cenário, o Cinemark apresentou nesta segunda-feira (16), um Plano de Demissão Voluntária (PDV) ou Programa de Qualificação Remunerado. A adesão ao PDV dará ao funcionário o saque do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), sem o pagamento da multa rescisória de 40%; no programa de qualificação, o funcionário receberá até 80% do salário liquido (sem os adicionais de auxílio transporte e alimentação) para participar de cursos online.

No DF, somente a rede Cine Drive-In, na Asa Norte, informou que manterá as atividades, porque as exibições ocorrem em locais abertos e com as pessoas mantendo isolamento, dentro dos carros.

A rede Espaço Itaú de Cinemas, presente em seis estados, irá fechar os três complexos na capital paulista (Augusta, Frei Caneca e Pompéia), a partir de amanhã, 17 de março, sem previsão de retorno. As unidades de Brasília e Rio de Janeiro, desde o último final de semana, encerraram suas operações por 15 dias.

Nos demais estados, a rede trabalha com 60% da capacidade dos lugares nas salas, para evitar aglomeração.

A nacional Kinoplex, além de paralisar as operações no Rio e no DF, planeja dar férias coletivas aos seus funcionários durante o período de suspensão. 

PUBLICIDADE

Hollywood tem pior fim de semana em mais de 20 anos

Além de atrasar lançamentos e produções de filmes de Hollywood, a pandemia de coronavírus causou o pior final de semana em bilheteria dos Estados Unidos em duas décadas, e o setor audiovisual passa a enfrentar sérios problemas com as restrições impostas para conter o avanço da doença.

Estima-se que o total de bilheterias domésticas no último fim de semana deva chegar a US$ 54 milhões, o pior desempenho desde 14 de janeiro de 1998. 

Nenhum dos novos lançamentos deste fim de semana como, Bloodshot, com Vin Diesel,  The Hunt e o drama I Still Believe, da Lionsgate, conseguiu faturar US$ 10 milhões em bilheteria, valor baixo para esse tipo de filme.

A implantação de medidas preventivas com base no distanciamento social tem gerado o fechamento ou redução da capacidade de diversas salas de cinema no país, que já registrou mais de 40 mortes em decorrência da Covid-19.

Na sexta-feira, grandes redes de cinemas, como a AMC Theatres e a Regal, anunciaram que operariam com capacidade de 50%, em um esforço para retardar a propagação do coronavírus. Dezoito dos 25 grandes exibidores na América do Norte passaram a operar com capacidade reduzida a partir de sábado, segundo informações do site Boxoffice Pro.

No domingo, o prefeito de Nova York, Bill de Blasio, e o prefeito de Los Angeles, Eric Garcetti, assinaram decreto ordenando o fechamento de todos os cinemas nas duas cidades, a partir desta terça-feira. 

Com os cinemas fechados ou operando com capacidade reduzida, e nenhum lançamento importante até  “Trolls 2” – único lançamento confirmado até o momento -, em 10 de abril, as vendas das bilheterias dos EUA só devem diminuir.

Os efeitos da pandemia no setor adiaram lançamentos esperados para o ano como Mulan, Um Lugar Silencioso II, Velozes e Furiosos 9 e o novo filme da franquia James Bond. Produções previstas para 2021 também tiveram suas atividades interrompidas, atrasando todo o calendário da indústria.

Seja sócio das melhores empresas da Bolsa: abra uma conta na Clear com taxa ZERO para corretagem de ações!