Perspectivas

Intenção de compras para o Natal é a mais baixa em sete anos

Varejo deve fechar o ano com um crescimento de apenas 4% nas vendas

Por  Gladys Ferraz Magalhães

SÃO PAULO – O índice de consumidores que pretendem efetuar uma compra no último trimestre do ano, que inclui datas importantes como o Dia das Crianças e o Natal, é o mais baixo desde 2006, segundo revelam dados divulgados nesta quarta-feira (2) pelo Provar (Programa de Administração do Varejo) da FIA (Fundação Instituto de Administração).

Segundo o levantamento, realizado em parceria com a Felisoni Consultores Associados), somente 46,8% dos paulistanos deverão adquirir um bem durável entre os meses de outubro e dezembro, número 3,6 pontos percentuais menor do que o registrado no terceiro trimestre e 9,2 p.p. abaixo do verificado em igual período do ano passado.

Dessa forma, e observando um ano muito abaixo dos padrões de venda de 2011, prevê-se que o varejo feche o ano com um crescimento de apenas 4% nas vendas, índice 3,8 p.p. menor que em 2012, quando se registrou crescimento de 7,8%.

“Trata-se de um conjunto de fatores combinados: a massa real de salários, o volume de crédito no mercado, a taxa de juros, inflação, o comprometimento de renda e a inadimplência têm afetado muito o ânimo de compra. Assim, a tendência é de forte desaceleração no consumo, mesmo com os incentivos de final de ano como datas sazonais e o pagamento do 13º salário”, analisa Cláudio Felisoni de Angelo, presidente do Conselho do Provar/FIA.

Internet
Quanto consideradas as compras via internet, o índice de consumo mantém a recuperação do terceiro trimestre, ao alcançar 90,3%.

Dentre as categorias com maior interesse de compra estão telefonia e celulares (32%), informática (30,7%) e eletroeletrônicos (29,4%).

Já quando analisado o varejo físico, a categoria vestuário lidera a intenção de compras, com índice de 24%; seguido por viagens e turismo, 12,6%; e linha branca, 8%.

Compartilhe