Gastos com carros danificados pelas enchentes pode chegar a R$ 1.200

Os carros que ficaram na água durante um alagamento devem receber cuidados no motor e manutenção interna rapidamente

SÃO PAULO – Carros danificados pelas enchentes podem causar prejuízos de R$ 400 a R$ 1.200 aos proprietários, segundo o engenheiro mecânico da Chevy Auto Center, Denis Marum.

“As chuvas danificam a parte elétrica e também toda a parte interna – carpete e bancos. O melhor, no verão, é estar preparado para ações preventivas, como trocar a palheta do para-brisa, ou ter certeza de que a bateria está em bom estado, porque há sobrecarga com a parte elétrica”, afirmou Marum.

Os carros que ficaram na água durante um alagamento devem receber cuidados no motor e manutenção interna rapidamente.

 “Depois de enfrentar a enchente o carro precisa ir para uma oficina e passar pela verificação detalhada e lavagem interna completa, senão a perda e a desvalorização serão ainda maiores. Consulte o seguro ou leve numa oficina de confiança, mas não perca tempo. O prejuízo pode ser acima de mil reais e muitos casos por dar perda total”, explicou o engenheiro.

Dicas
Para enfrentar os dias de chuva, o motorista deve verificar as palhetas do para-brisa, que não podem estar ressecadas, e a água do esguicho, que deve ter líquido desengordurante. Além disso, os desembaçadores traseiro e dianteiro devem estar funcionando e as borrachas das portas devem estar em bom estado, para que não entre água enquanto estiver chovendo.

Outro cuidado que se deve tomar é verificar o sistema de freios, se os pneus não estão carecas, se as luzes das lanternas estão em perfeito estado e se a bateria está bem carregada.

O engenheiro aconselha que os motoristas fiquem atentos aos noticiários para evitar as áreas alagadas. “Não enfrente a enchente achando que pode ultrapassá-la. Como os veículos têm os comandos elétricos, é muito fácil o carro dar pane e você ficar no meio da água”, afirmou Marum.

Caso o motorista esteja em um local onde a água subiu rapidamente, ele poderá passar em uma área alagada cuja altura máxima seja a metade da roda e deverá acelerar o carro durante toda a travessia, em primeira marcha, porque a aceleração do carro evita a entrada de água pelo escapamento.

A marola deve ser evitada, para que a água não alcance a entrada do filtro do ar. Para isso, o motorista deve verificar a passagem de caminhões e carros ao lado ou no sentido contrário.

PUBLICIDADE

Se o carro morrer, o motorista não pode tentar fazê-lo pegar. Nesse caso, deverá pedir ajudar, chamando um guincho e tirando o veículo do local onde está parado.