AO VIVO Por Dentro dos Resultados: Diretor de finanças e RI da Suzano fala sobre os resultados da empresa de papel e celulose

Por Dentro dos Resultados: Diretor de finanças e RI da Suzano fala sobre os resultados da empresa de papel e celulose

Espelho?

Flagra: carro clonado estaciona ao lado de sua cópia no ES

Vagas lado a lado em estacionamento de um banco ficaram com dois carros totalmente iguais

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Após desconfiar da clonagem de seu veículo, por receber multas de localidades em que nunca esteve, uma proprietária estacionou justamente ao lado do “clone” de seu carro em um banco de Vargem Alta, Espírito Santo. Era o mesmo modelo com a placa idêntica, mudando apenas a cor. 

Detido, o motorista do segundo carro disse que comprou o carro há 15 dias em Cachoeiro de Itapemirim, também no ES, e não tinha notícia da clonagem. Ele foi liberado após prestar depoimento na delegacia de Vargem Alta e assumir compromisso de comparecer em juizo.

Investigações apontaram que o veículo que dirigia fora roubado em Feira de Santana, Bahia. A Polícia Civil informou que segue acompanhando o caso.

PUBLICIDADE

Clonagem

Em janeiro, o Detran do Espírito Santo estimou que existiam mais de 2 mil carros clonados em circulação no estado. Para serem descobertos, casos de clonagem devem ser denunciados.

O primeiro passo é comparecer a uma delegacia de furtos e roubos de veículos, comprovando a posse do carro original. Depois, o proprietário deve fazer um boletim de ocorrência na Delegacia de Defraudações e Falsificações.

Com esse boletim em mãos, a clonagem em si pode ser incluída no cadastro do carro em uma Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran) ou Posto de Atendimento Veicular (PAV). Todos esses documentos devem estar em posse do motorista para o caso de ser parado no trânsito.

Mesmo em casos de clonagem denunciada, para recorrer de uma multa os motoristas devem fazer o caminho normal no prazo estabelecido pela lei.