Economia

Demanda por crédito do consumidor recua 1,9% em junho, 3ª baixa seguida

Em 12 meses, alta acumulada foi de 9,1% — menor do que a apurada em maio, de 10,1%

Por  Estadão Conteúdo -

A demanda por crédito do consumidor recuou 1,9% em junho, a terceira queda consecutiva na comparação mensal dessazonalizada. O resultado levou a baixa de 7,2% no segundo trimestre do ano em comparação ao primeiro trimestre. Em 12 meses, a alta acumulada foi de 9,1% — menor do que a apurada em maio, de 10,1%.

Na abertura, o segmento Financeiro apresentou queda maior do que o Não Financeiro — de 2,4% e 1,6%, respectivamente, na margem. Na comparação trimestral, por outro lado, o recuo maior foi apurado no critério Não Financeiro, de 7,8%, contra 6,4% do Financeiro. Já, no acumulado em 12 meses, o segmento Financeiro avançou 17,4% e o Não Financeiro, 3,6%.

O economista Flavio Calife, da Boa Vista, classificou a desaceleração da demanda como “já esperada”. “O crédito ainda é muito forte e deverá encerrar o ano em alta, mas essa tendência deve ser mantida ao longo do próximo semestre. O custo do crédito é elevado e essa é a principal razão que justifica essa expectativa de desaceleração, não apenas do crédito, como também, da economia”, disse, em nota.

De acordo com Calife, o custo deve continuar em trajetória de alta devido aos processos de aperto monetário e de elevação do spread — acompanhando a tendência de alta projetada nas taxas de inadimplência do consumidor.

Planeje seus gastos
Baixe de graça uma planilha de controle financeiro para monitorar seus gastos mensais e acompanhar a evolução do seu orçamento ao longo do ano:
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.
Compartilhe