Venda deve cair 1%

China toma medidas drásticas e facilita compra de casas para ajudar mercado imobiliário

Um exemplo extremo foi observado quando quase todos os forasteiros que trabalham em uma província foram autorizados a obter uma licença de compra

arrow_forwardMais sobre
mercado imobiliário chinês
(Shutterstock) Mercado imobiliário chinês

(Bloomberg) — Pelo menos 30 cidades da China facilitaram a liberação de cobiçadas permissões de residência desde setembro, sinalizando que as autoridades desejam impedir uma desaceleração adicional do setor imobiliário.

Embora o combate à especulação imobiliária tenha sido uma das prioridades do presidente Xi Jinping, o ritmo mais lento de crescimento econômico em 30 anos leva alguns governos municipais a serem mais flexíveis. Uma autorização de residência, ou hukou, é exigência para compra de imóveis em muitos lugares na China e facilitar sua obtenção tem o efeito de estimular as vendas.

Um exemplo extremo foi observado no mês passado em Hainan, onde quase todos os forasteiros que trabalham naquela província insular foram autorizados a obter um hukou. Embora o objetivo das autoridades de Hainan seja acelerar o crescimento da população antes que se torne um porto de livre comércio em 2020, seu mercado residencial inevitavelmente ficará aquecido antes disso, segundo analistas.

PUBLICIDADE

“Como consequência, as restrições à compra de casas em algumas cidades de Hainan serão afrouxadas”, disse Yang Kewei, diretor de pesquisa da China Real Estate Information, em Xangai. “Novos residentes são instantaneamente autorizados a comprar propriedades quando adquirirem um hukou.”

As vendas de residências em Hainan caíram 45% nos primeiros nove meses do ano na comparação com o mesmo período de 2018.

Em algumas cidades onde já era fácil conseguir um hukou, como Xinxiang e Luohe, na região centro de Henan, o processo ficou ainda mais simples, explicou Yang. Cidades menores que desejam impulsionar seu mercado imobiliário costumam flexibilizar as exigências para obtenção do hukou alegando que o objetivo é atrair trabalhadores mais qualificados, disse ele.

“Nos últimos anos, sempre que o mercado residencial mostra sinais fraqueza, surgem políticas preferenciais para atrair trabalhadores qualificados”, acrescenta Yang. “No curto prazo, essas políticas sempre ajudam o mercado residencial.”

Dados de preços de moradias registraram em setembro o menor aumento em sete meses. A venda de residências por área em toda a China deve cair 1% este ano em relação ao ano passado e recuar mais 4% em 2020, segundo relatório divulgado pela China International Capital na segunda-feira.