Copa do Mundo

Carros comemorativos da Copa desvalorizam mais que versões de série

Extravagância é um dos principais fatores que levam à maior depreciação

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Os fãs de futebol que adquiriram um carro de edição limitada desenvolvida para celebrar a Copa do Mundo podem ter uma surpresa negativa na hora da revenda. Isso porque, segundo dados apurados pelo Índice Webmotors, essas versões desvalorizam mais do que as de série.

De acordo com o estudo, que analisou os modelos Volkswagen Gol Seleção, ano/modelo 2011, e o Mercedes-Benz smart ForTwo Brazilian Edition, 2010, lançados em comemoração à Copa do Mundo da África do Sul, a extravagância é um dos principais fatores que levam à maior depreciação, sendo que as características acrescentadas à série especial, normalmente, não são valorizadas no futuro, impactando no preço e na venda.

“Os fabricantes utilizam as séries especiais como forma de promover a sua marca e, em alguns casos, relacioná-la a algum grande acontecimento, como a Copa do Mundo. A série especial, contudo, tende a ser mais extravagante que a versão de série e pode não agradar o gosto do consumidor. O Smart Brazilian Edition, por exemplo, trazia a carroceria pintada com as cores da bandeira brasileira, e muitos consumidores preferem veículos com pinturas mais clássicas”, explica a contry manager do Webmotors, Márcia Regina Botter. 

Desvalorização
Entre abril de 2012 e março de 2014, o importado smart ForTwo Brazilian Edition desvalorizou 24,1%, 7 pontos percentuais a mais que o modelo do qual deriva. Entre os destaques da versão comemorativa estavam o motor 0.8 aspirado, de 71 cv, em vez de 1.0 turbo de 84 cv; o sistema start/stop (que interrompe o funcionamento quando a velocidade é inferior a 8 km/h, retomando assim que o motorista tira o pé do freio); e a pintura que trazia a bandeira do Brasil estilizada na coluna central.

Já o Gol Seleção desvalorizou 27,5%, 3 pontos percentuais a mais que a versão de série, entre junho de 2010 e maio de 2014. O carro se diferenciava pelo emblema da seleção brasileira de futebol na lateral da carroceria e nos assentos, além de uma opção de cor azul, que lembrava o tom do uniforme do time. O veículo era equipado com motor 1.0 total flex, rodas de liga leve de 14 polegadas com desenho exclusivo, faróis de neblina, direção hidráulica e sistema de som com rádio, CD/MP3, entrada auxiliar e Bluetooth.