Semana do varejo

Black Friday: vale a pena comprar antes da data oficial? Veja dicas

Com parte das varejistas antecipando os descontos, o consumidor precisa se organizar para aproveitar os melhores preços

SÃO PAULO – A Black Friday acontece oficialmente na sexta-feira, 26 de novembro. Entretanto, boa parte dos varejistas já começaram com as ofertas e anteciparam algumas ações e promoções para a data. 

Neste ano, a expectativa é de alta de 25% no faturamento das lojas online do país para R$ 6,38 bilhões somente nas 24 horas da sexta-feira (26), segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm). Diante disso, considerando o mês de novembro e as potenciais compras ao logo do período, os resultados devem ser positivos.

“É possível comprar produtos com desconto antes, durante e depois da Black Friday. Na semana que acontece a data, os varejistas já entram no ar com as ofertas antes da Black Friday, seguidas da própria Black Friday e, muitas vezes, na segunda-feira seguinte (conhecida como Cyber Monday)”, ressalta Julia Rueff, diretora sênior de marketplace do Mercado Livre.

Fernando Moulin, sócio da Sponsorb, consultoria especialista em e-commerce, diz que de uns anos pra cá, o varejo vem adotando a estratégia de diluir as ofertas de Black Friday.

“Tem Black November, Best November, Best Friday, ou seja, vários nomes diferentes para ações com o mesmo caráter promocional, que têm o propósito de tentar garantir o resultado do último trimestre do ano, o mais forte e fundamental para o fechamento dos resultados do ano das empresas de varejo em geral. Este período de último trimestre do ano inclui datas sazonais, como o Dia das Crianças, o Natal e a Black Friday, que se consolidou bastante nos últimos anos. Em alguns anos e vários setores, a Black Friday inclusive se mostra mais forte que o Natal em termos de volume de vendas e faturamento”, explica.

Ricardo Kureski, professor de Ciências Econômicas da PUC-PR, destaca que as compras feitas antes da data em si podem ser bons negócios, mas a recomendação é objetiva.

“É preciso pesquisar por alguns dias para ver se, de fato, a promoção vale a pena. Feito isso, se o cliente encontra o produto antes da sexta-feira do evento e por um preço que considera atrativo, não tem por que deixar passar”, avalia.

Moulin  acredita que na própria data da Black Friday haverá algumas ofertas pontuais que são bastante importantes e podem ser muito vantajosas para o consumidor, mas entende que a próxima semana como um todo tende a apresentar muitas ofertas interessantes.

Leia também:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Se o consumidor tiver paciência, vai encontrar o que procura por um bom preço. Lembrando que alguns itens, principalmente eletrônicos e importados em geral, estão mais caros este ano em função do cenário cambial”, diz.

Para aproveitar os descontos, mesmo antes da data, os especialistas separaram algumas dicas.

Confira:

1. Faça seu planejamento financeiro

Na Black Friday, os descontos podem chegar a 80%, mas as promoções não devem ser o único fator que leva o cliente às compras.

É importante ter um planejamento financeiro sobre o que deseja comprar, quanto custa, e como pode pagar sem se endividar. 

Não adianta aproveitar todas as boas promoções se não tiver capacidade de honrar os compromissos financeiros depois.

2. Acompanhe os preços

É recomendado monitorar com antecedência os preços dos produtos que te interessam. Com isso, a base de comparação das ofertas é maior e é mais fácil saber o melhor momento de compra. É isso que fará a diferença entre um bom negócio antecipado ou uma compra mal feita. 

O InfoMoney fez uma matéria que mostra os sites que comparam preços e divulgam as melhores ofertas para o período do evento – veja aqui.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Vale lembrar que se o cliente está pesquisando os preços do produto que deseja e encontra uma boa promoção – na comparação com o que vem observando nos dias anteriores – pode efetuar a compra.

O professor da PUC explica que geralmente as varejistas têm promoções diferentes entre as semanas que antecedem a Black Friday e o dia do evento em si, além do risco do estoque do produto acabar, se o desconto for realmente bom.

3. Aproveite as promoções-relâmpago

Ofertas repentinas podem aparecer em diversos horários e acabar em poucos minutos, e podem ser uma boa oportunidade para que o cliente aproveite para obter o produto que deseja antes da sexta-feira do evento.

Porém, a recomendação é a mesma: vale para quem sabe o que está procurando e está atento aos preços, para evitar prejuízos ou mesmo pagar um valor que poderia ser menor depois. 

4. Fique atento às formas de pagamento

Algumas ofertas possuem grande desconto para pagamentos à vista, outras podem ser parceladas em diversas vezes.

A dica é ficar atento ao preço que aparece no carrinho ao final da compra, aos juros em caso de parcelamento, e também em todas as informações na hora de pagar com boleto ou Pix.

A vontade de aproveitar um super desconto pré-Black Friday não pode ser maior do que a atenção para fechar a compra: criminosos se aproveitam para desviar as transferências do cliente na modalidade à vista. A pessoa paga via Pix ou boleto e o dinheiro cai em uma conta que não é a do e-commerce.

5. Cuidado com sites desconhecidos

Em sites que você não conhece, é melhor evitar comprar por impulso. Mais do que aproveitar as ofertas, é importante garantir que a compra seja segura.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Por isso, verifique a autenticidade da página, busque referências e pesquise sua reputação para não cair em armadilhas e ficar no prejuízo. 

O InfoMoney fez uma matéria que mostra a lista de sites não recomendados pelo Procon. 

Leia também:

CDB com 300% do CDI? XP antecipa Black Friday com rentabilidade diferenciada para novos clientes. Clique aqui para investir agora!