Benefício do trabalhador

Associação critica proposta que muda pagamento de vale-refeição e alimentação; entenda

68% das pessoas não usariam o valor do benefício para alimentação se passassem a recebê-lo em espécie, segundo pesquisa feita pelo setor

Por  Estadão Conteúdo -

A Associação Brasileira das Empresas de Benefícios ao Trabalhador (ABBT) criticou na segunda-feira (1º) a proposta de pagar o vale-refeição e o vale-alimentação em dinheiro vivo ou em depósito em conta, apresentada pelo deputado federal Paulinho da Força (Solidariedade).

Paulinho é relator da Medida Provisória 1108/2022 e propõe que o pagamento do benefício poderá ser feito em dinheiro ou em depósito na conta dos trabalhadores e terá valor único, fixado em convenção coletiva. Ele diz que a mudança pode acabar com o “monopólio” das credenciadoras do setor.

O presidente do conselho da ABBT, Alaor Aguirre, afirmou que a medida provocaria o encolhimento do mercado de vouchers no Brasil, além de comprometer o faturamento de bares, restaurantes e mercados, pois os trabalhadores poderiam usar os valores do benefício para pagar outras contas.

Estimativas indicam que o mercado de vale-refeição e vale-alimentação movimenta R$ 100 bilhões por ano no país, mas a associação não divulga esses números.

“Caso o projeto seja aprovado como prevê o relator e os sindicatos passem a fixar o pagamento do benefício em dinheiro, o mercado de vouchers tende a encolher no Brasil. Essa medida também pode afetar o faturamento de bares, restaurantes e pequenos supermercados”, disse Aguirre.

Outros gastos

O presidente do conselho da ABBT citou pesquisa feita pela associação, com 3,5 mil pessoas, em que 68% dos entrevistados dizem que não usariam o valor do benefício para alimentação se passassem a recebê-lo em espécie.

“A pesquisa mostra que, se as pessoas recebessem o recurso do vale-refeição em espécie, usariam para pagar contas, para cobrir o cheque especial, para comprar recarga de celular e para entretenimento”, destacou Aguirre. Ele disse também que, em alguns casos, o faturamento de bares e restaurantes com o vale-refeição chega a 70%.

Publicada em março deste ano, a MP 1108/2022 altera o pagamento do vale-refeição e do vale-alimentação e está na pauta de votação do plenário da Câmara. Ela precisa ser votada pelo Congresso até 7 de agosto.

Planeje seus gastos
Baixe de graça a planilha de controle financeiro com todos os cálculos para monitorar seus gastos mensais e veja um resumo sobre a evolução do seu orçamento ao longo do ano:
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.
Compartilhe