App do Starbucks vai parar de funcionar no Brasil; programa de fidelidade é encerrado

Clientes podem resgatar os créditos que possuem no programa até dia 31 de janeiro

Equipe InfoMoney

Publicidade

O aplicativo da Starbucks não vai mais funcionar para consumidores do Brasil. A SouthRock, administradora da empresa de bebidas no país, anunciou o fim do app até dia 31 de janeiro de 2024, além da descontinuação do programa de fidelidade e do sistema de pagamento com cartão exclusivo da rede americana. As informações foram obtidas pela Folha de S. Paulo.

Os clientes da marca podem optar entre resgatar os créditos que possuem no programa ou trocar o saldo por produtos das lojas do Starbucks.

Em Recuperação Judicial

A SouthRock está em Recuperação Judicial desde o dia 12 de dezembro, quando a Justiça de São Paulo autorizou o processo. A companhia também é responsável pelas marcas Subway e Eataly no Brasil. A proteção contra credores incluiu apenas o Starbucks, pois o grupo conseguiu excluir o Subway e o Eataly do pedido.

Planilha Gratuita

O seu bolso vai agradecer

Organize a sua vida financeira com a planilha de gastos do InfoMoney; download liberado

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

A SouthRock havia pedido proteção contra credores em 31 de outubro, alegando R$ 1,8 bilhão em dívidas.

Na época, a empresa afirmou que com a recuperação judicial seria possível dar “sequência ao processo de reestruturação de suas operações, já iniciado com o apoio de consultores externos e stakeholders, que tem como objetivo proteger as marcas que representa, os partners (colaboradores), os consumidores e as suas lojas”.

Durante o processo, as marcas do portfólio SouthRock (Starbucks, TGI Fridays, e B.A.R. – Brazil Airport Restaurants) seguem operando normalmente.

Continua depois da publicidade

Fundada em 2015, a SouthRock se especializou no desenvolvimento de restaurantes de aeroportos, por meio da B.A.R, e em grandes marcas consolidadas fora do Brasil, como Starbucks, Subway e Eataly. A gestora fechou um acordo de licenciamento com a matriz do Starbucks em 2018, para ser operadora exclusiva no país, e em maio de 2022 assumiu a gestão do Subway — que não foi incluída no pedido de RJ.