Discurso de um ano que chegou

Não pergunte ao ano de 2021 o que ele pode fazer por você. Mas sim, se pergunte o que você pode fazer por 2021

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores
arrow_forwardMais sobre
(Pixabay)

Olá, eu sou o seu novo ano, 2021. Apesar de tudo que passamos neste último ano, chegamos até aqui e daqui em diante, eu assumo.

E para meu antecessor, 2020, preciso dizer que suas contribuições transformaram nossas vidas de forma profunda. Ele exemplificou, em 12 meses, o que queremos dizer com a palavra “resiliência”.

Chegar até aqui não foi tarefa fácil. Hoje, venho oficialmente me apresentar para vocês. Afinal, este é o primeiro dia “útil” que estou no cargo. Sim, eu, 2021, começo meu mandato no dia de hoje.

Meu antecessor trouxe ensinamentos que nenhum de nós jamais esquecerá e sei que meu trabalho daqui em diante será árduo. Certamente as expectativas de vocês sobre mim são gigantescas.

Eu decidi me apresentar formalmente por aqui, justo neste momento da história, porque acredito profundamente que só poderemos resolver os desafios do nosso tempo se estivermos juntos.

Entendo que podemos ter histórias diferentes, mas temos esperanças comuns. Pode ser que não tenhamos a mesma aparência e não tenhamos vindo do mesmo lugar, mas todos queremos caminhar na mesma direção: em direção a um futuro melhor para nossos filhos e netos.

Nas últimas semanas, tenho percebido o quanto as pessoas estavam famintas por essa mensagem. Então me dei conta que estão colocando em mim uma responsabilidade que não é só minha. Afinal, posso eu mudar tudo de um dia para o outro?

Portanto, gostaria de antemão pedir desculpas. Eu não quero ser o “salvador da pátria”, o “ano herói” que salvou a tudo e a todos. Não me entendam mal, eu gostaria de ajudar a todos, se possível, o quanto antes.

Afinal de contas, todos queremos ajudar uns aos outros, essa é natureza humana. E, neste mundo, há lugar para todos. Mas o que aconteceu no último ano nos guiou para um caminho que não será tão simples de recompor.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A internet nos aproximou. Com este texto, posso chegar a milhões de pessoas, que precisam ler estas palavras. Aos que podem me ler, eu digo, acredite em 2021, mas antes, acredite na ciência e em você mesmo.

Mais do que uma boa conexão na internet, precisamos de ciência e de humanidade. Mais do que de inteligência, precisamos de gentileza e bondade.

Outra coisa, não dê ouvidos a quem só te coloca para baixo. Lute pela sua liberdade de pensamento e de ação. Você tem o poder. Vamos lutar por um mundo de razão, um mundo em que a ciência e o progresso vão levar à felicidade de todos.

Eu tive um sonho hoje, um sonho que serei o ano em que você irá transformar os aprendizados estridentes do ano passado em uma bela sinfonia de boas ações.

Nos últimos meses, descobrimos pessoas nobres e que trabalham pelo coletivo, e pessoas individualistas que só pensam nos seus próprios interesses. Agora, também cabe a nós identificar o nobre e o mesquinho que vive dentro da gente.

E se simplesmente fugirmos da responsabilidade agora, se nos retirarmos para nossos respectivos cantos, nunca seremos capazes de nos reunir e resolver desafios como saúde ou educação ou a necessidade de termos bons empregos para todos neste país.

Compreender 2020 exige um lembrete de como chegamos a esse ponto. Como William Faulkner escreveu uma vez: “O passado não está morto e enterrado. Na verdade, nem mesmo é passado.”

Estamos envolvidos em uma espécie de guerra, que ainda não acabou. Nos encontramos em um grande campo de batalha. E, por mais que tudo o que aconteceu seja esquecido em alguns anos, estou aqui para lembrar que, pela honra das centenas de milhares de pessoas que perderam a vida para essa doença, você faça a sua parte.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Não pergunte ao ano de 2021 o que ele pode fazer por você. Mas sim, se pergunte o que você pode fazer por 2021.

Thiago Godoy

É head de educação financeira da XP Inc. e especialista em psicologia do dinheiro e bem-estar financeiro. É mestre pela FGV – Tese em Educação Financeira, especialização em Sustentabilidade (University of British Columbia), tem MBA em Marketing (FGV) e graduação em administração (UFJF). Foi diretor de mobilização de recursos e relações governamentais da Associação de Educação Financeira do Brasil, atuando especialmente com populações de baixa renda e escolas públicas. Também atuou com desenvolvimento institucional na Dialogue Direct e Children International (EUA), Fundação Vida Plena (Bolívia), Projuventude e Comitê para Democratização de Informática (Brasil). Instagram: @papaifinanceiro