Vou me “lascar” se for para a Grécia agora?

Ai, ai, ai, ai, ai, estou com tudo marcado para passar minhas férias na Grécia! Será que devo ir? Devo adiar? Terei problemas se fôr? E se desistir, terei que pagar a mais por isso? Estas duvidas devem estar passando pela sua cabeça se você é um feliz turista a caminho da Grécia. Não!! Não se mate! Não rogue pragas aos Deuses do Olimpo! Relaxe... e leia a matéria abaixo...

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores
arrow_forwardMais sobre

Vou me “lascar” se for para a Grécia agora?

Estamos no olho do furacão. Um furacão mediterrâneo. Países da União Europeia apreensivos. Alemanha e França resistindo. Acham, ou melhor, tem certeza, de que a Grécia já “deu o calote”.  Veremos em breve se a orgulhosa e tempestiva  posição helênica trará mais benefícios ou problemas para a já sofrida população grega.

Enquanto isto, a vida não para.

É verão na Europa. É verão na Grécia. Dez entre dez celebridades, artistas e milionários do planeta vão para a terra dos Deuses no verão. Magnatas russos já são donos de muitas ilhas, mansões e terras Grécia afora. Resultado da crise.  As consequências do tal “calote” nem os economistas arriscam . Uns dizem que a crise grega arrastará o resto dos “irmãos” europeus. Outros que a economia grega é tão pequena(gera apenas 2% do PIB europeu) que nem arranhará o conjunto da obra no velho continente.

É hora de ir para a Grécia?

No meio de tudo isto, você, louco para ir para a Grécia, conhecer Santorini, Mykonos a Acrópoles grega! Já está com a passagem comprada? Já comprou e desistiu? Nem comprou e já desistiu?

Pois bem, aqui vão algumas sugestões.

1 – Se você já comprou a passagem há tempos, se programou, planejou suas férias para o auge do verão europeu(julho e agosto), mudou a vida da família em função do sonho , vá em frente. Mas vá com espírito aberto. Saiba que, possivelmente terá problemas com o transporte. Alguns “ferries”(navios) que ligam as ilhas poderão não funcionar a contento. Podem ate mesmo nem funcionar. Greves? Pode ser. Eu, porém, não creio. Por um motivo simples: mais do que nunca os gregos precisam das divisas do turismo.  E ao final, se você já se programou há tanto tempo, terá mais problemas desistindo do que indo para a terra dos Deuses. Vá, caro amigo, e seja um observador privilegiado de um instante que mudará o perfil sócio-político de toda a Europa.

2 – Se você reservou mas ainda não comprou todo o pacote(hotéis, passagens aéreas, passagens para os “ferries” é bom adiar sua viagem ao menos um ou dois meses. Há dois motivos: a) nas próximas semanas deuses e demônios ainda se estranharão na mesa de negociações. Ninguém sabe o que pode surgir daí. Greves podem ser possíveis se  as pessoas acharem que o governo não defendeu bem  o povo. E aí sua viagem poderá ficar complicada. Em segundo porque, com crise ou sem crise, julho e agosto são meses de altíssima temporada na Europa e de preços estratosféricos na Grécia, com ou sem crise. Então, programe-se para ir em Setembro. Preços baixos, clima mais ameno, menos, muito menos turistas.

3 – Você nem começou e já desistiu ? Resolveu ir para a França, Inglaterra ou Espanha? É total direito seu. Saiba, no entanto, que os preços na Grécia deverão cair, pós verão europeu. Repito: o turismo, desde sempre, foi a tábua da salvação em tempos de crise na Grécia. Não será diferente agora. Adicionalmente,  os preços ficarão mais atrativos do que qualquer outro país da Europa ou mesmo dos EUA.

Eu iria!!!

Se você tiver algum espírito aventureiro e disponibilidade de tempo, em duas ou três semanas será uma barganha visitar a Grécia. Quem esperar verá! Ficou convencido? Não? Então, mais dicas você encontra lá no portal www.oquevipelomundo.com.br  


Acrópoles com Partenon visto do monte Likavitos em Atenas | Crédito: Paulo Panayotis e Divulgação


Casa para alugar em ilha grega, preços despencando | Crédito: Paulo Panayotis e Divulgação


Pôr do sol no mediterrâneo grego | Crédito: Paulo Panayotis e Divulgação


Veleiro nas águas do mediterrâneo grego | Crédito: Paulo Panayotis e Divulgação


Novo ministro grego Euclides Tsalakotos | Crédito: Paulo Panayotis e Divulgação

Paulo Panayotis